» Sr. Redator

Correio Braziliense
postado em 01/05/2022 00:01

Fatos relevantes

Causou-me alegria viajar no tempo vendo a exposição 61 1 com as capas do Correio Braziliense, no CCBB. Tirei fotos das primeiras páginas do jornal nos dias dos aniversários dos meus três filhos, todos nascidos aqui em Brasília. Também fotografei as capas do dia do meu casamento e da data em que meu nome saiu na lista de aprovados no vestibular da UnB. Isso sem falar das edições do jornal da morte de JK, de Tancredo, de Ayrton Senna e Lady DI.

Cláudio Jorge,

Sudoeste

Perigo à vista

O GDF, a Câmara Legislativa e o Ministério Público fazem vista grossa para a invasão próxima ao Parque Burle Marx, na 708/709 Norte. Esta semana, homens armados, disfarçados de catadores de lixo, passeavam pela região à luz do dia. A população faz queixas formais aos órgãos de segurança e nada acontece. Até quando?

Manoel Alcântara,

Asa Norte


Lazer seguro  

É preciso encontrar um jeito eficaz de sinalizar as faixas exclusivas para ciclistas nos dias de Eixão do Lazer (domingo e feriados). Muitos grupos usam as pistas da Asa Sul e da Asa Norte para promover competições entre ciclistas em horários em que famílias brincam no local. Há três finais de semana, por pouco, um pelotão de bikes não atropelou duas meninas na 116 Norte.

Arthur Silva,

Asa Norte

Cosme e Damião

Todos os dias, a imprensa noticia novos casos de latrocínio no Plano Piloto. A falsa sensação de segurança tem levado muita gente a andar pelas ruas da capital como se vivesse nos velhos tempos em que se via as duplas de policiais, conhecidas como Cosme e Damião, por todo lado. Criação da época do governo Roriz, o policiamento com lendária dupla faz muita falta .

Jaime Costa,

Guará


Ayrton Senna, a passagem do herói

Eis a marca de uma história que não deixa o coração e a mente dos brasileiros. Este é o dia e o local intitulado como o da grande perda. Mas também, o dia da transmutação de um homem em herói. San Marino, Imola, Itália. 1º de maio de 1994. Há 28 anos. E parece que foi ontem. Pois ainda ouvimos o ronco dos motores. O olhar abatido e pensativo antes do início da prova. Uma sensação de "há algo errado" paira na expressão do Herói. Uma crítica ao esquema de segurança dos demais companheiros. Tudo lhe frisava uma repressão de vidência, pois assim são todos os heróis, anteveem fatos e situações, tempos e épocas. Aparecem de épocas em épocas na humanidade, focando luzes novas para revelar-nos saídas e desafios a superar. Cravou em nossos corações a franqueza da luta independente do peso das ferramentas que iremos carregar para trilhar o caminho da realização. Hoje, jovens, crianças e adolescentes acompanham ou participam com alegria e entusiasmo dos seus programas sociais e superam violência urbana, a gravidez precoce, o uso de drogas e a violência doméstica. E elegeram Ayrton Senna como o grande ídolo, numa época em que faltam referenciais e valores de positividade para nossas gerações. Parabéns Ayrton, você é inesquecível.

José Ribamar Pinheiro Filho,

Asa Norte  

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE