"Matou as bichas todas", diz Bolsonaro sobre uso de remédios sem comprovação para covid

Presidente levou pai de funcionário para live como exemplo de quem se curou usando medicamentos sem evidências científicas

Thays Martins
postado em 13/08/2020 20:56 / atualizado em 13/08/2020 20:58
 (foto: Facebook/ reprodução)
(foto: Facebook/ reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro levou para sua habitual live, nesta noite de quinta-feira (13/8), o pai de um funcionário do Planalto que teve covid-19 e o usou como exemplo de quem utilizou remédios sem comprovação para a doença e conseguiu se curar. "Seu Manoel Cardoso de Araújo tem 100 anos de idade, pedreiro e pastor. Um dos filhos dele é capitão de coverta e trouxe parte da família para me visitar. Ele teve  covid, com 30 dias foi curado. Tomou azitromicina e ivermectina, não tomou cloroquina. Tem outros coisas que dão certo. Matou as bichas todas. Pode ser só coincidência", afirmou o presidente. 

Bolsonaro ainda fez uma piada com a quantidade de filhos que seu Manuel tem. "Ele é perigoso porque tem 14 filhos da mesma mulher. Ele com 62 estava em plena atividade." 

O presidente ainda comemorou que agora, de acordo com ele, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (Anvisa) voltou a exigir somente a receita simples para a compra do remédio. "Para evitar a compra para fazer estoque, para não revender, a Anvisa passou a exigir dupla via. Agora não vai precisar mais" garantiu. Hoje, a compra da cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina em farmácias e drogarias será permitida apenas mediante apresentação da receita médica em duas vias.

"Alguns estão me criticando, que o presidente mandou fabricar uma reserva de 4 milhões de comprimidos. Nosso consumo anual, para malária, artrite e lúpus, é de 13 milhões, então nada vai ser jogado fora. Vai ser reaproveitado de uma forma ou de outra", afirmou o presidente. 

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação