Sindicância no caso Queiroz

Augusto Fernandes
postado em 16/08/2020 06:00

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) abriu uma sindicância interna para investigar por que o órgão perdeu o prazo para apresentar um recurso no caso que apura a suposta prática de rachadinha no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A sindicância vai levantar o histórico de acessos ao processo no sistema eletrônico. Um deles, em 2 de julho, ativou a contagem do prazo para recurso, à revelia do MPRJ. “No fim da tarde de sexta-feira, a procuradora de justiça Soraya Gaya encaminhou à chefia institucional um expediente solicitando a adoção de providências para elucidar quem teria acessado o sistema eletrônico que gerou a fruição do prazo para impetração dos recursos”, informou o Ministério Público fluminense, em nota. O Ministério Público do Rio informou que o único objetivo da sindicância será apurar quem acessou o sistema da procuradora de justiça, e não investigar quem levou o MPRJ a perder o prazo de recurso sobre o caso.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação