Bolsonaro diz que governo distribuirá cartilhas nas escolas ao estilo de "educação moral e cívica"

Em live ao lado do ministro da CGU, o presidente disse que o material é uma ação para combate à corrupção. Bolsonaro também sinalizou a vontade que as aulas voltem mesmo na pandemia

Thays Martins
postado em 20/08/2020 20:00 / atualizado em 20/08/2020 23:38
 (foto: Facebook/ reprodução )
(foto: Facebook/ reprodução )

Em live nesta quinta-feira (20/8), o ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, explicou o projeto da CGU de entregar cartilhas em escolas como forma de combate à corrupção. "Nós estamos com um material já pronto, devido à pandemia, essas classes não estão acontecendo, passando noção de ética, cidadania, respeito ao patrimônio público uma contribuição para as gerações futuras", afirmou o ministro. "Seria parecido com a volta da educação moral e cívica?", questionou o presidente. "Mais ou menos isso ai, mas de uma forma lúdica", explicou Wagner Rosário. O material seria para alunos do 1º ao 5º ano. 

O presidente também sinalizou a vontade que as aulas voltem a serem presenciais, mesmo com a pandemia. "Temos que conversar com o Milton (Milton Ribeiro, ministro da Educação) para saber como vai ser a volta as aula. A academia da Agulhas Negras, a escola naval não parou e continuou sem problema algum", afirmou. 

Ainda sobre Educação, Bolsonaro disse que, até o fim do mandato, quer entregar 200 escolas cívico-militares. De acordo com ele, a vantagem do formato é a disciplina e hierarquia imposta. "É comum acontecer de um dos colegas serem pegos colando e são desligados. Até o próprio colega acaba mostrando se o garoto vem colar. Onde tem hierarquia, tem disciplina", concluiu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação