Mentalize

MS lança programa para combater doenças mentais na pandemia

Num primeiro momento, o programa Mentalize, lançado nesta segunda (24/8), disponibiliza vídeos com orientações feitas por profissionais de saúde sobre diferentes temas

Maria Eduarda Cardim
postado em 24/08/2020 19:49 / atualizado em 24/08/2020 19:50
 (foto:  Ana Rayssa/CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

O Ministério da Saúde lançou nesta segunda-feira (24/8) o programa Mentalize, que traz uma série de ações para orientar os brasileiros sobre as doenças mentais. No primeiro momento, a pasta disponibiliza vídeos com orientações feitas por profissionais da saúde sobre diferentes temas. A divulgação dos vídeos acontece nos próximos três dias, 25,26 e 27 de agosto, às 19h, no Youtube do Ministério da Saúde.

Os temas abordados serão, respectivamente, a saúde da criança e do adolescente, saúde dos trabalhadores e saúde do idoso. Dentro de cada programa, a pasta promete abordar questões como a ansiedade, depressão, transtornos de aprendizagem, síndrome do esgotamento profissional, exposição prolongada a internet, e alteração de rotina diária.

“No mundo todo se espera que após a pandemia a quantidade de pessoas com sinais de agravo mental aumente muito” indicou a indicou a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, durante a coletiva de imprensa de apresentação do programa. “Dessa forma o Ministério da Saúde quer prevenir danos a saúde mental de todos os brasileiros”, completou.

O programa foi feito junto com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), que assinou um termo de cooperação com o Ministério da Saúde. O presidente da ABP, Antônio Geraldo da Silva, destacou a importância da parceria com a pasta que foi feita de forma voluntária. “Essa parceria não envolve um real sequer, é tudo feito voluntariamente. Um projeto que não envolve dinheiro e que pode mudar o futuro das pessoas”, reforçou.

Antônio ressaltou que mais de 50 milhões de brasileiros estão em tratamento psiquiátrico e o Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking dos países com mais casos de transtorno de ansiedade. “Nós temos hoje 18.600.000 com transtorno de ansiedades e que precisam tratar”, pontuou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação