Esther Castilho

Em reunião ministerial, youtuber mirim questiona ministros sobre preço do gás e do arroz

O presidente Jair Bolsonaro levou uma youtuber mirim para fazer perguntas aos ministros. O vídeo foi disponibilizado nas redes sociais do presidente

Ingrid Soares
postado em 08/09/2020 13:55
 (foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

Durante a reunião ministerial, nesta terça-feira (8/9), o presidente Jair Bolsonaro levou uma youtuber mirim para fazer perguntas aos ministros. O vídeo foi disponibilizado nas redes sociais do presidente. No microfone do chefe do Executivo, Esther Castilho, de 10 anos, reclamou inicialmente para o ministro de Energia, Bento Albuquerque sobre o alto preço do gás. Prontamente, o mesmo disse que a pergunta deveria ser feita ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

“O preço do gás vai abaixar ou vai aumentar mais? Explica ai”, questionou ela direcionando a Guedes. O ministro respondeu: “Com a ajuda do ministro Bento, nós estamos aprovando a lei do gás natural e aí vamos dar um choque de energia barata. Esperamos que o gás caia de 20% a 30% pelo menos."

A menina rebateu: “Então tá bom. Eu espero isso, porque lá Lá em Ribeirão Preto (SP) está quase R$ 90 gente, pelo amor de Deus, né?”. Esther, em seguida, questionou ainda a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sobre a alta do preço do arroz.

“Tereza Cristina, o arroz vai aumentar ou vai abaixar?”. A ministra respondeu: “O arroz não vai faltar. Agora, ele está alto, mas nós vamos fazer ele baixar. Se Deus quiser, vamos ter uma supersafra ano que vem”, apontou.

Vacina da covid-19

A Youtuber indagou então o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre as vacinas contra o coronavírus. O general voltou a dizer que a previsão é de que as mesmas estejam disponíveis a partir de janeiro.

“Estamos fazendo contratos com quem fabrica as vacinas. Esse é o plano. Está previsto que a vacina chegue para nós em janeiro. A partir de janeiro a gente começa a vacinar todo mundo”, declarou. Bolsonaro pediu que ela questionasse ainda se Pazuello desejava voltar para o Rio de Janeiro. “Só depois que aposentar, para morar na frente da praia”, afirmou.

Pantanal

A Ricardo Salles, do Meio Ambiente, ela disparou: “Está pegando fogo no pantanal?”. O ministro consentiu. “Tá pegando fogo, mas o presidente mandou 10 aviões lá pra mandar apagar”.

Aulas

Ao ministro da Educação, ela perguntou sobre o início das aulas. Milton Ribeiro brincou então que já havia sido entrevistado por ela e “pulou” a pergunta. Mas explicou: “As aulas devem voltar em breve, assim que tiver mais segurança. Isso depende de cada governo estadual, mas logo logo a gente vai ter novidades ai”, prometeu.

Defesa

Ao ministro da Defesa, Fernando Azevedo, Esther perguntou se o Brasil estava “bem defendido”. “Vai ficar melhor ainda, porque o grande projeto da Defesa é o serviço militar obrigatório para as mulheres”, afirmou. No entanto, segundo a assessoria de imprensa da pasta, a medida não é verdadeira e caracterizou-a como “uma brincadeira”.

Mourão

Ao vice-presidente, Hamilton Mourão, Bolsonaro pediu que a garota questionasse se ele deseja ser presidente do Brasil. Mourão balançou a cabeça negativamente: “Em hipótese alguma", disse entre risos.

Bolsonaro fala da imprensa

Ao final, Esther pediu a Bolsonaro que mandasse um recado para o público. “Estou sendo entrevistado por uma criança que, em parte, representa as crianças do Brasil todo. A mensagem para vocês: confiar no papai e na mamãe, ficar em paz que o papai do céu cuida da gente”, declarou.

Na reunião, o presidente afirmou também que gostaria que as jornalistas fossem iguais à garota. “É uma menina que tem uma capacidade enorme de conversar, interagir. Gostaria que as repórteres do Brasil fossem iguais a ela”, concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação