Isolamento social

Bolsonaro diz que "perdoa" pessoas que defenderam o "fique em casa"

A declaração foi feita a apoiadores que o aplaudiram na entrada do Palácio da Alvorada

Ingrid Soares
postado em 09/09/2020 22:25
 (foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta quarta-feira (9/09) que "perdoa" as pessos que defenderam o "fique em casa", no caso, o isolamento social. A declaração foi feita a apoiadores que o aplaudiram na entrada do Palácio da Alvorada.

"Quando lá atrás me criticavam, eu falava o quê? Vírus e emprego. O pessoal falou: fique em casa e a economia vem depois. Apesar disso, eu perdoo quem falava isso aí. [Foi aplaudido] Até muitos políticos sabiam que eu tava certo, mas por vergonha... muitos políticos queriam estar na crista da onda, cuidando da vida, o malvadão era eu. Agora eu perdoo, tá certo? A gente estava no caminho certo e estamos nos empenhando para que a economia pegar", apontou.

Bolsonaro comentou ainda sobre a alta nos itens da cesta básica como arroz, feijão e óleo. O mandatário contou que conversou com representantes de supermercados e que os mesmos estão se "empenhando" para baixar os preços.

"A boa notícia hoje: conversei com duas autoridades dos supermercados, tá? Na ponta da linha, o preço chega pra eles, e eles estão se empenhando para reduzir o preço da cesta básica, que dado o auxílio emergencial houve um pequeno aumento no consumo.Houve mais exportação por causa do dólar também, sabemos disso aí. Os risicultores, os plantadores de arroz, estavam com prejuízo há mais de dez anos, mas está sendo normalizado isso aí", prometeu.

Bolsonaro voltou a dizer que não tabelará os produtos. "Não vamos interferir no mercado de jeito nenhum, não existe canetaço para resolver o problema da economia", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação