Eleições de 2020

Partido da Mulher lança homem para disputar a Prefeitura de Belo Horizonte

Cabo Xavier é ex-bolsonarista, evangélico e continua na ativa. Desincompatibilizou-se do cargo na PM para a disputa eleitoral

Estado de Minas
postado em 16/09/2020 11:16 / atualizado em 16/09/2020 11:19
 (crédito:  Twitter/Reprodução)
(crédito: Twitter/Reprodução)

O Partido da Mulher Brasileira (PMB) homologa nesta quarta-feira (16), em reunião virtual com a participação da direção e filiados da agremiação, o candidato da legenda a Prefeito de Belo Horizonte. O candidato do PMB é o evangélico Edmar Washington Xavier Pereira, 48 anos, conhecido por Cabo Xavier pelo fato de integrar a Polícia Militar há 26 anos.

"Sou Batista, mas não estou ligado a nenhuma igreja em especial. Frequento também a Universal ( do Reino de Deus), que é a (igreja) da minha esposa", explicou o candidato. Com a homologação da candidatura do Cabo Xavier, a capital vai reafirmar o recorde já batido nesta campanha, que é o de maior número de candidatos na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte.

De acordo com o calendário eleitoral das eleições deste ano, termina nesta quarta-feira (16/9) o prazo para que os partidos realizem suas convenções para homologar não só a chapa a prefeito e vice mas também a de candidatos a vereador.

Bastidores

Ex-bolsonarista assumido, Cabo Xavier continua na ativa – a legislação permite desincompatibilização para a disputa eleitoral-, justifica a dissidência afirmando que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é hoje um “um homem de boas ideias, mas mal assessorado”.

Cabo Xavier também criticou a postura do presidente, que classifica de “populismo”. “Que é muito prejudicial para o país”, avaliou.O militar , que pretende se aposentar no ano que vem, passando para a reserva-, contou à reportagem do Estado de Minas que sua militância política começou bem antes de entrar para a Política Militar.

“Atuo nos bastidores”, afirmou ele, reclamando que a legislação não permite que, em função do exercício da carreira militar, tenha filiação partidária. Cabo Xavier disse também que em função dessa proibição, fica difícil para um militante político conhecer os meandros de um partido.Ele já tentou fundar um partido, em 2012. O Partido da Defesa Social (PDS), no enatnto, não conseguiu o registro em definitivo na Justiça Eleitoral.

Na eleição deste ano, o Cabo Xavier teve a oportunidade conhecer os pormenores de pelo menos três agremiações em busca de uma legenda para abrigar sua candidatura.

Ele disse que, antes do sinal verde do PMB, tentou emplacar a candidatura pelo PL e, ainda, pelo PMN. As duas tentaivas frustradas desembocaram na PMB. Cabo Xavier relatou ainda que “chegou no partido (PMB)” há duas semanas.

Além da candidatura, ele também está assumindo a presidência da comissão provisória da direção do partido em BH.

Contradição

O candidato do Partido da Mulher Brasileira a prefeito de Belo Horizonte rechaçou a observação sobre a contradição de um homem assumir a disputa representando uma agremiação, em tese, voltada para o sexo feminino.

“Estamos acima de questões ideológicas e de gênero”, argumentou. Cabo Xavier que a proposta do PMB é, sobretudo, ‘’valorizar a mulher como ser político”. “E sempre fui um defensor das mulheres”, afirmou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação