Minas

Candidato é assassinado após live

Gabriel Ronan - Vinícius Lemos *
postado em 24/09/2020 23:43


Ex-presidente da Câmara Municipal de Patrocínio (MG) e pré-candidato a vereador na cidade, Cássio Remis teve a carreira política interrompida. Ele foi assassinado na tarde de ontem. O principal suspeito do crime é Jorge Marra, irmão de Deiró Marra (PSB), prefeito do município e candidato à reeleição. Jorge Marra era, até ontem, secretário de Obras de Patrocínio, cidade de aproximadamente 90 mil habitantes. Foi demitido do cargo.

Segundo o relato de testemunhas, o crime aconteceu nas dependências da Secretaria de Obras. Minutos antes de ser morto, Remis fez um vídeo em que criticava uma obra de reforma do passeio no imóvel que seria o comitê eleitoral do prefeito Deiró Marra (PSB). A mão de obra seria da própria prefeitura de Patrocínio, segundo Remis. “Aqui, agora o secretário de Obras chegando para me agredir”, avisa o pré-candidato, no momento em que Jorge Marra desce de uma picape branca e avança em direção a Remis para tomar o telefone celular que fazia a gravação. O vídeo, então, é interrompido.

Relatos indicam que o secretário Jorge Marra, após tomar o celular de Cássio Remis, leva o aparelho para a sede da Secretaria de Obras. Quando a vítima chegou ao local, teria havido nova discussão. Marra atirou várias vezes contra o pré-candidato. Ele fugiu e é procurado pela Polícia Militar de Patrocínio.

Eleito em 2008, Remis foi o presidente do Legislativo municipal entre os anos de 2013/2014 e exerceu dois mandatos consecutivos, de 2009 a 2012, e de 2013 a 2016. Ele era pré-candidato à nova eleição pelo PSDB. Eram comuns os vídeos da vítima criticando ações do atual prefeito de Patrocínio, o que reforça a suspeita de crime político.

“Nada a ver”

No início da noite, Deiró Marra falou com a imprensa. O prefeito afirmou, diversas vezes, que o crime não muda em nada a sua campanha para as eleições deste ano e reiterou que será candidato à reeleição. Deiró Marra disse que o fato de um parente tirar a vida de um adversário político “pode acontecer com qualquer um”.

“Isso aqui não tem nada a ver com a campanha. Foi uma tragédia. Eu me enluto com a família. É um fato que fatalmente pode acontecer com qualquer um, qualquer cidadão. Não é iss, (o assassinato) não tem nada a ver com o nosso projeto político”, disse Deiró Marra.

O prefeito anunciou, ainda, luto oficial de três dias pela morte de Cássio Remis. E confirmou que os disparos de arma de fogo partiram do seu irmão, Jorge Marra. “Lamentamos tudo que aconteceu, essa sequência de fatos absolutamente injustificáveis que culminaram (sic) com a morte do (candidato a) vereador, Cássio Remis, por disparos de arma de fogo, infelizmente, pelas mãos do meu irmão, Jorge Marra”, afirmou.

 

 

 

 

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação