Léo Índio pede exoneração

Augusto Fernandes
postado em 16/10/2020 06:00
 (crédito: Reprodução/instagram)
(crédito: Reprodução/instagram)

Devido à repercussão do escândalo envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), encontrado com R$ 33,1 mil dentro da cueca, durante uma operação da Polícia Federal em Roraima, na quarta-feira, o assessor parlamentar dele e sobrinho do presidente Jair Bolsonaro, Leonardo Rodrigues de Jesus, mais conhecido como Léo Índio, pediu exoneração do cargo.

Ele optou por romper com o parlamentar, para evitar ainda mais desgastes ao tio, especialmente pelo fato de o comandante do Planalto ter dito, nos últimos dias, que não há corrupção no governo.

Em uma rede social, Léo Índio explicou que partiu dele a decisão de ser exonerado. O ato que vai confirmar o desligamento do assessor do gabinete de Rodrigues deve ser publicado na próxima edição do Diário do Senado Federal. “A decisão de sair do gabinete do senador Chico Rodrigues foi decisão unicamente minha, sem orientação da Presidência e de aliados do governo”, escreveu.

Léo Índio havia sido nomeado por Rodrigues em abril de 2019. Nesse tempo como assessor parlamentar, o salário bruto do sobrinho de Bolsonaro subiu de R$ 5.353 para R$ 22.943, de acordo com informações do Portal da Transparência do Senado. Ao se manifestar ontem, ele não lamentou o episódio relacionado ao senador e apenas agradeceu a oportunidade de ter trabalhado com o congressista. “O tempo no gabinete parlamentar me trouxe experiência e aprendizado sobre mais uma região rica e singular do nosso país, Roraima”, afirmou.

No ano passado, quando foi convidado por Rodrigues para trabalhar no Senado, Léo Índio fez questão de enaltecer o parlamentar. Na ocasião, disse admirá-lo “há bastante tempo”. “Nossa convivência foi estreitada desde os primórdios da campanha de Jair Bolsonaro à presidência, quando o senador pôde constatar algumas das minhas características e a convergência de nossas ideias”, comentou Léo Índio.

À época, o sobrinho de Bolsonaro também destacou que a “boa política” era “indissociável” a ele desde a infância. Além disso, afirmou que, ao lado de Rodrigues, não ia medir esforços “para honrar a missão de servir ao país”.

Família

Léo Índio é filho de Rosimeire Nantes, irmã de Rogéria Nantes, ex-mulher de Bolsonaro e mãe de três filhos do presidente: o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Nos seus perfis na internet, Léo Índio costuma fazer postagens enaltecendo o trabalho do presidente e dos primos. Além disso, faz publicações em que debocha de rivais do tio, como os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação