Congresso Nacional

Senador diz que escondeu dinheiro na cueca por "impulso"

Chico Rodrigues (DEM-RR), encontrado com R$ 33,1 mil entre as nádegas, afirma que o dinheiro não é fruto de corrupção: "jamais desviaria dinheiro público"

Augusto Fernandes
postado em 20/10/2020 13:48
 (crédito: Handout/AFP)
(crédito: Handout/AFP)

No dia em que anunciou o seu afastamento do Senado, Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado na semana passada com R$ 33,1 mil entre as nádegas, enviou uma mensagem para outros senadores para tentar se justificar pelo escândalo e disse que colocou o dinheiro na própria cueca "num ato de impulso".

Na gravação, o parlamentar reforçou o argumento apresentado por sua defesa de que o dinheiro seria utilizado para pagar funcionários que trabalham em uma empresa da família dele e afirmou que "jamais desviaria dinheiro público".

"Por que guardei o dinheiro? Nunca tinha sido acordado pela polícia. Acordei em meio a pessoas estranhas em meu quarto e, num ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo. Se levassem esse dinheiro, ninguém iria receber nessa semana. Não era dinheiro de corrupção", garantiu Rodrigues.

O senador foi flagrado com os R$ 33,1 mil nas roupas íntimas durante operação da Polícia Federal que apura um esquema de desvio de recursos públicos que deveriam ter sido aplicados no combate à pandemia da covid-19 em Roraima. De acordo com a corporação, teriam sido desviados mais de R$ 20 milhões em emendas parlamentares.

No vídeo, contudo, o senador descarta que o dinheiro encontrado com ele seja de origem ilícita. "Jamais desviaria dinheiro público. Nenhum centavo dessas emendas que me acusam ter desviado foi empenhado, licitado ou outra coisa que o valha."

De acordo com Rodrigues, "por trás desse broche de senador há um ser humano". Ele também disse estar vivendo um pesadelo e que ficou "sem chão" ao ser acusado de ser o chefe de uma organização criminosa". O parlamentar ainda lamentou ter sido "massacrado, ridicularizado e humilhado".

"Permitam-me, ao menos, me explicar. Não me condenem previamente. O próprio inquérito revela que não cometi nenhum crime. Não tem processo, não teve julgamento, não teve condenação, não teve nada. E eu já sou execrado dessa forma? E não me ouvem?", reclamou o senador.

No fim da mensagem, Rodrigues pede a Deus para iluminar os homens. "Que me julguem de uma maneira sábia. Essa é a verdade. Deixo nas mãos de Deus."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação