INTERFERÊNCIA NA PF

Alexandre de Moraes é o novo relator de inquérito contra Bolsonaro

Relatoria do caso estava sob responsabilidade do ministro Celso de Mello, que se aposentou este mês

Renato Souza
postado em 20/10/2020 23:03 / atualizado em 20/10/2020 23:06
 (crédito: RosineiCoutinho/SCO/STF)
(crédito: RosineiCoutinho/SCO/STF)

O ministro Alexandre de Moraes é o novo relator do inquérito 4831, aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal. O presidente da Corte, Luiz Fux, atendeu pedido dos advogados do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, e determinou a redistribuição do caso após aposentadoria do ministro Celso de Mello no último dia 13. A redistribuição foi realizada através de sorteio por meio sistema eletrônico do Supremo.

A relatoria seria repassada automaticamente ao ministro indicado por Bolsonaro, caso não fosse redistribuído. No entanto, nos bastidores, gerou temor de que o próximo magistrado, que vai assumir a cadeira do ministro Celso, dificultasse o andamento do caso, ou fosse considerado suspeito de se debruçar sobre o tema. O chefe do Executivo indicou para a vaga o desembargador Kassio Marques.

Sabatina no meio do caminho

No entanto, para chegar ao cargo, Marques precisa passar por sabatina no Senado. A data da eventual posse ainda não foi definida. A tendência, mesmo em meio a polêmicas, como inconsistências no currículo, o magistrado seja aprovado pelos senadores. Atualmente ele ocupa uma vaga do chamado quinto constitucional no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

A investigação foi aberta após Moro deixar o governo e fazer acusações de que Bolsonaro atuou para interferir na superintendência da PF no Rio de Janeiro. A suspeita é de que ele tentou proteger amigos e parentes que estariam na mira das investigações.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação