ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Covas tem 57% dos votos válidos em SP e Boulos, 43%, aponta Ibope

Realizada na sexta-feira e no sábado, a pesquisa não detectou sinais de acirramento da disputa na reta final da campanha

Agência Estado
postado em 29/11/2020 08:50
 (crédito: Nelson Almeida e Hector Guerrero/AFP)
(crédito: Nelson Almeida e Hector Guerrero/AFP)
Com 57% das intenções de votos válidos, o prefeito Bruno Covas (PSDB) é o favorito para vencer neste domingo, 29, a eleição em São Paulo, segundo a última pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo antes da votação em segundo turno. Guilherme Boulos (PSOL) tem 43%, 14 pontos porcentuais a menos que o tucano.
Nos votos totais, incluindo brancos, nulos e indecisos, Covas lidera por 48% a 36%. Há ainda 14% dos entrevistados que não pretendem votar em nenhum dos dois concorrentes, e 3% não se decidiram. Para 83%, a opção de voto é definitiva.
Realizada na sexta-feira e no sábado, a pesquisa não detectou sinais de acirramento da disputa na reta final da campanha. Os porcentuais de votos válidos não mudaram em relação à pesquisa anterior.
Se confirmar o resultado nas urnas, Covas será o terceiro integrante do PSDB a conquistar a Prefeitura pelo voto desde a redemocratização do País, em 1985. Os outros dois foram José Serra (de 2005 a 2006) e João Doria (de 2017 a 2018).
Boulos chegou ao segundo turno depois de romper no âmbito municipal a hegemonia do PT na esquerda. Diferentemente dos petistas, porém, ele não conseguiu liderar no eleitorado mais pobre. É a primeira vez desde 1985 que o PT não chega ou em primeiro ou em segundo lugar na disputa pela Prefeitura.
As pesquisas do Ibope não registraram a polarização social observada em eleições anteriores. Covas chegou à véspera da eleição com vantagem em todos os segmentos de renda. Entre os eleitores que ganham até um salário mínimo, ele tem 58%, e Boulos, 42%. Entre os que ganham cinco mínimos ou mais, o placar é de 59% a 41%.
Na segmentação do eleitorado por raça, o prefeito vence por 63% a 37% entre os brancos. Já entre os que se declaram pretos e pardos ele tem 53%, ante 47% do adversário. Trata-se de um empate no limite da margem de erro, que é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. Isso significa que há baixa probabilidade de um empate de fato.
O único segmento demográfico em que Boulos lidera é o dos mais jovens. Na parcela do eleitorado com até 24 anos, ele tem 64%, ante 34% do adversário. No outro extremo, entre os que têm 55 anos ou mais, Covas vence por 72% a 28%.
Herança
O prefeito tucano herdou a maioria dos votos de quem se declarou eleitor de Celso Russomanno (Republicanos), Márcio França (PSB) e Artur do Val (Patriota). No caso de Russomanno, sete em cada dez de seus eleitores declaram apoio a Covas no segundo turno, segundo a pesquisa. Já Boulos conquistou 83% dos eleitores do petista Jilmar Tatto.
Se considerados apenas os votos válidos (excluídos os eleitores indecisos e os que pretendem votar nulo ou em branco), praticamente não houve alterações na série de três pesquisas Ibope feitas no segundo turno.
Covas largou com 58% no levantamento do dia 18 de novembro, oscilou para 57% no dia 25 e agora manteve a taxa. No mesmo período, Boulos marcou 42%, 43% e 43%.
O instituto Datafolha também divulgou a pesquisa de véspera da eleição, atribuindo 55% e 45% dos votos válidos a Covas e Boulos, respectivamente. Apesar da pandemia, 91% dos eleitores afirmam estar decididos a votar. Essa taxa chega a 93% no eleitorado com 55 anos ou mais.
A pesquisa Ibope entrevistou 1.204 eleitores. As entrevistas foram realizadas de forma presencial - por causa da pandemia de covid-19, a equipe do Ibope usou equipamentos para proteção da própria saúde e da dos entrevistados.
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerada a margem de erro de três pontos porcentuais. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo SP-02990/2020. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE