PODER

Barrada na própria solenidade

Priscilla Gaspar, secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, por pouco não consegue participar de evento em homenagem a brasileiros especiais, no Palácio do Planalto. GSI afirma que ela não sabia por onde deveria entrar, mas foi orientada

Ingrid Soares
postado em 04/12/2020 00:57

A secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Priscilla Gaspar, passou por uma situação constrangedora, em cerimônia no Palácio do Planalto. Ao chegar para discursar na solenidade de comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado ontem, e do Dia do Voluntário, celebrado amanhã, foi barrada na entrada. Priscilla, que tem deficiência auditiva, atrasou-se para o evento por tentar provar que havia sido convidada para a solenidade. Ao enfim chegar ao púlpito, para seu discurso, contou o que aconteceu.

“Sabemos que ainda temos muitas barreiras, muitos impedimentos. De vez em quando, temos algum problema. Eu, infelizmente, atrasei porque tive um probleminha ao entrar. Ainda que eu dissesse que estava vindo para o nosso evento, no Dia da Pessoa com Deficiência, apresentando meu crachá, não acreditaram que eu estava neste evento. Pediram para eu dar uma volta, para conseguir ter acesso. E dei a volta, e também não foi liberada a minha acessibilidade, a minha entrada, mesmo eu dizendo que era secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência”.

E completou: “Precisei dizer que eu, ainda sendo uma pessoa surda, não sou diferente de ninguém. Isso me mostrou que nós precisamos ainda lutar bastante, todos os dias das nossas vidas”, desabafou.

A secretária pediu, ainda, que o governo federal investisse em cursos de empatia sobre a pessoa deficiente. “Precisamos ter empatia, ter conhecimento da nossa causa e o governo federal é o primeiro que tem mostrado e se preocupado com nossa causa. Peço para que os senhores, autoridades do governo federal, para que possam ofertar possibilidades e, quem sabe, uma oficina em relação à empatia sobre as pessoas com deficiência. Temos vários servidores que têm deficiência, mas muitas pessoas não entendem o que passamos diariamente, pois se sentem constrangidas de dizer o que necessitam”, cobrou.

O Correio questionou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que faz o controle de acesso e negou que Priscilla tivesse sido barrada.

“Em nenhum momento a secretária Priscilla Gaspar foi ‘barrada’ pelo GSI. Muito pelo contrário! Inicialmente, por desconhecer as instalações do Palácio do Planalto, a secretária tentou acessar a Cerimônia pelo Anexo. Imediatamente, foi orientada a se deslocar para o estacionamento Oeste, ao lado do Palácio. Em seguida, como o local já estava lotado, recebeu nova orientação para se dirigir a outro estacionamento com vagas disponíveis. Portanto, os servidores deste Gabinete atuaram corretamente, de modo que a secretária chegasse ao evento com a maior brevidade possível”, diz a nota do GSI.

Ao discursarem no evento, a primeira-dama Michelle Bolsonaro e a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) não comentaram o fato. Na solenidade, o presidente Jair Bolsonaro também assinou dois decretos: um que cria o Comitê de Doenças Raras e outro que institui o Prêmio de Acessibilidade, cujo objetivo é reconhecer, incentivar e premiar, anualmente, iniciativas de entidades públicas e privadas, e indivíduos que tenham notória atuação na promoção da acessibilidade às pessoas com deficiência. Os decretos serão publicados, hoje, no Diário Oficial da União (DOU).

 

Bolsonaro chama Múcio para o governo e se diz “apaixonado”

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, ontem, que o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), José Múcio Monteiro Filho, tem vaga garantida no primeiro escalão do governo. O convite foi feito na videoconferência do 4º Fórum Nacional de Controle, promovido pela Corte de contas com o tema Inovação pela Educação no Brasil. “Se a saudade lhe bater, venha para cá. Estará entre nós, pode ter certeza, no nosso primeiro time”, disse Bolsonaro a Múcio, que antecipou a saída do TCU para 31 de dezembro. “Me permita: eu sou apaixonado por você. Vossa Excelência tem um comportamento sempre conciliador, amigo, buscando cada vez mais um consenso”, destacou o presidente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE