Política

Moro diz que há desvio de finalidade na ação da Abin em benefício de Flávio Bolsonaro

Ex-ministro da Justiça afirmou a interlocutores que acredita que a informação sobre a atuação pode ser anexada ao inquérito do STF que investiga o presidente Bolsonaro

Correio Braziliense
postado em 11/12/2020 13:57
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press - 24/4/20)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press - 24/4/20)

 

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, acredita que o caso divulgado nesta sexta-feira, (11/12), de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) produziu documentos para orientar a defesa do filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), como uma ação clara de desvio de finalidade.

Segundo o portal Uol, Moro disse a interlocutores que acredita que a informação sobre a atuação da Abin em favor do senador pode ser anexada ao inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga se o presidente Bolsonaro interferiu na Polícia Federal, para beneficiar amigos e familiares, por serem temas semelhantes.

O episódio ligado ao caso das rachadinhas, envolvendo o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), Queiroz comandava o esquema de entrega de parte de salários de assessores para uso particular de parlamentares.

Nos documentos que a reportagem teve acesso, com autenticidade e procedência confirmadas pela defesa do senador, a Abin detalha o funcionamento da suposta organização criminosa em atuação na Receita Federal.

Segundo suspeita dos advogados de Flávio, a Receita teria feito um escrutínio ilegal em seus dados fiscais para fornecer o relatório que gerou o inquérito das rachadinhas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE