FORD

Para Bolsonaro, Ford deixou o país por ser "incapaz" de concorrer

Na live desta quinta-feira à noite, presidente lamentou o fim das atividades da montadora no Brasil. Mas não deixou de criticá-la: "Quem dá lucro, permanece. Quem não dá, fecha"

Augusto Fernandes
postado em 14/01/2021 23:01
 (crédito: Reprodução/Facebook)
(crédito: Reprodução/Facebook)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a decisão da montadora de veículos Ford de encerrar as atividades do Brasil, em live nas suas redes sociais, na noite desta quinta-feira (14/1). Ele se eximiu de culpa pela saída da gigante automobilística do país e acusou-a de ser "incapaz de se deixar levar pela concorrência".

"A Ford, respeitosamente, mesmo com subsídio, foi incapaz de se deixar levar pela concorrência. Então, os asiáticos, carros chineses, coreanos, vieram para cá e sufocaram a Ford", afirmou Bolsonaro, que reforçou: "Lamentamos profundamente o que aconteceu, mas, num país democrático, onde se respeita a liberdade de mercado, quem dá lucro, permanece. Quem não dá lucro, fecha".

O presidente disse que também não pode ser responsabilizado pelos cinco mil funcionários da Ford que ficarão sem emprego por conta da saída da montadora do país. E, mais uma vez, reclamou da imprensa.

"'O presidente Bolsonaro é incompetente, ele não previu, não negociou para a Ford ficar no Brasil. Cinco mil empregos perdidos'. Pessoal: eu não quero perder nenhum emprego, no que depender de mim. Então, o quadro pintado no momento são cinco mil perdidos, sim. Agora, não se fala, na mesma matéria, que em novembro foram criados 114 mil empregos no Brasil", cobrou, sem dizer a que veículo de imprensa se referia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE