PANDEMIA

Covid-19: Bolsonaro diz que ele e irmãos estão decidindo se mãe será vacinada

Chefe do Executivo também afirmou que não tomará a dose porque já está "imunizado". Mesmo sem comprovação do tempo de duração da imunidade contra o vírus, ele aconselhou a quem já tiver sido infectado a não se vacinar

Ingrid Soares
postado em 15/01/2021 19:45 / atualizado em 15/01/2021 19:58
 (crédito: Reprodução / Redes Sociais)
(crédito: Reprodução / Redes Sociais)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (15/1) que ele e os irmãos ainda estão decidindo se a mãe, Dona Olinda Bolsonaro, 93 anos, será vacinada contra a covid-19. O chefe do Executivo voltou a afirmar também que não tomará a dose porque já está "imunizado". A fala ocorreu em entrevista ao programa Pingos nos Is.

"A vacina chama-se emergencial. Não está devidamente comprovada ainda. Os laboratórios e seus contratos dizem que não se responsabilizam por efeitos colaterais. No que depender de mim, a vacina não será obrigatória. E a vacina que for certifica pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) será adquirida por nós", apontou.

Bolsonaro voltou a dizer que já possui anticorpos, por ter sido diagnosticado em julho do ano passado com a doença.

"Eu já fui contagiado. Já tenho anticorpos. Para que tomar vacina? Agora, quem quiser tomar vacina, repito. Vai tomar, vai estar a disposição sabendo de possíveis efeitos colaterais aos quais os laboratórios não se responsabilizam. Então, eu não estou fazendo campanha contra a vacina. Até um irmão meu entrou em contato esta semana: "Ô, Jair. A nossa mãe está com 93 anos e mora aqui no Vale do Ribeira. Vai tomar vacina ou não?". Somos meia dúzia de irmãos e estamos decidindo o que vai acontecer com a minha mãe", contou.

Anticorpos

Mesmo sem comprovação de tempo de duração de imunidade contra o vírus, ele ainda aconselhou a quem já tiver sido contaminado com a doença a não se vacinar e deixar as doses para aqueles que não tiverem anticorpos.

"Eu, particularmente, já tenho anticorpos. Não preciso tomar vacina. Assim como acredito, posso estar equivocado, que quem já foi contaminado e tem os anticorpos, não precisa gastar uma vacina. E a vacina, a gente sabe que não vai chegar para todo mundo este ano. Então, quem já foi infectado e tem os anticorpos, deixa para quem não foi contaminado ainda tomar a vacina", pediu.

Por fim, o mandatário reforçou que não tomará a vacina. "Eu não pretendo tomar vacina sem que ela seja devidamente comprovada cientificamente. Não pretendo tomar. Quem quiser tomar, o governo vai estar à disposição. O governo federal vai fazer campanha sim, mas campanha responsável para o povo se vacinar sabendo aí de todas as possíveis consequências e efeitos adversos", concluiu.

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE