CORONAVAC

Doria negociará CoronaVac com estados se Saúde não quiser novo lote

Governador exige resposta do governo federal para os 54 milhões de doses adicionais, conforme contrato firmado com ministério. "O país tem pressa em salvar vidas", alfinetou

Ingrid Soares
postado em 28/01/2021 23:21
 (crédito: Governo do estado de Sao Paulo)
(crédito: Governo do estado de Sao Paulo)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou, na noite desta quinta-feira (28/01), que solicitou ao Instituto Butantan que priorize estados e municípios caso o Ministério da Saúde não confirme a compra adicional de 54 milhões de doses da CoronaVac.

“Caso o Ministério da Saúde não confirme a compra, determinei ao Instituto que forneça essas vacinas prioritariamente aos estados e municípios do Brasil. O país tem pressa em salvar vidas. E, nós, em vacinarmos os brasileiros”, escreveu o tucano no Twitter.

Ontem, o diretor do Butantan, Dimas Covas, cobrou uma resposta do governo federal em relação aos 54 milhões de doses adicionais da CoronaVac, conforme acordo firmado com o Ministério da Saúde. Ele afirmou que daria preferência a países da América Latina que procuram vacinas junto ao Butantan. Covas frisou, ainda, que o contrato com o governo federal é de 46 milhões de doses, com a opção de fornecer mais 54 milhões, mas é preciso confirmar um aditivo contratual.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE