POLÍTICA

Flávio Bolsonaro alega que comprou mansão com recursos próprios

Senador Flávio Bolsonaro afirma que comprou imóvel de quase R$ 6 milhões, no Lago Sul, com recursos próprios e financiamento bancário. Preço é mais de três vezes o valor do patrimônio declarado pelo parlamentar nas eleições de 2018

Sarah Teófilo
Ingrid Soares
postado em 03/03/2021 06:00
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

Após vir a público a compra que fez de um imóvel no setor de mansões Dom Bosco, no Lago Sul, em Brasília, ao custo de R$ 5,97 milhões, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho “01” do presidente Jair Bolsonaro, explicou-se por meio de nota, afirmando que “a casa foi comprada com recursos próprios, oriundos da venda de seu imóvel no Rio de Janeiro — não há registro em cartório nesse sentido — e por intermédio de financiamento imobiliário”. O parlamentar ainda se disse vítima de especulação por parte da imprensa.

O preço da mansão é pouco mais de três vezes o valor do patrimônio declarado por Flávio nas eleições de 2018, quando era deputado e buscava uma vaga no Senado: na época, declarou R$ 1,7 milhão. Entre os bens descritos, está um apartamento na Barra da Tijuca, avaliado em R$ 917 mil; uma sala comercial no mesmo bairro, custando R$ 150 mil; 50% de participação em uma loja de chocolates (vendida no começo do mês passado), no valor de R$ 50 mil; e um carro Volvo, de R$ 66,5 mil.

A divulgação da compra ocorre em “má hora”, conforme caracterizado por fontes do Planalto, por conta do processo sobre rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), em que Flávio foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro, apontando-o como “líder de organização criminosa”, quando era deputado estadual. No mês passado, entretanto, a defesa do parlamentar conseguiu anular, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), as quebras de sigilo bancário e fiscal que constavam no inquérito. Os dados basearam diversas outras ações no âmbito da investigação.

Ainda ontem, Flávio gravou um vídeo, no qual voltou a dizer que o fato noticiado é uma exploração, por ser perseguido pela mídia. “Mais uma vez, a imprensa tenta construir uma narrativa criminosa em cima de uma simples compra e venda de imóvel. Eu já sabia que isso podia acontecer, porque é comigo. Mas eu não vou deixar de fazer nada na minha vida por medo de como a imprensa vai explorar ou distorcer isso”, enfatizou.

Ele citou, também, ter utilizado o valor da venda de uma franquia de chocolates para compor a quantia. “Vendi um imóvel que eu tinha no Rio, vendi uma franquia que eu possuía, também no Rio, e dei entrada numa casa aqui em Brasília. A maior parte do valor dessa casa está sendo financiada num banco, numa taxa que foi aprovada conforme meu rendimento familiar, como qualquer pessoa no Brasil pode fazer”, destacou. “Então, lamento essa exploração com um fato simples. Isso tudo está em uma escritura pública acessível”, completou.or fim, Flávio relatou ter oficiado o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para que aumentasse a segurança no entorno da residência recém-adquirida e reclamou da veiculação do endereço. “Lamento que a imprensa exponha onde moro. Em função disso, já oficiei o GSI, órgão responsável pela segurança do presidente e da sua família, para que intensifique a segurança aqui no entorno da minha residência. Qualquer coisa a mais é pura exploração por parte da imprensa. Tá tudo redondinho, dentro da lei e sem problema nenhum”, concluiu.

As informações sobre a negociação do imóvel foram divulgadas pelo portal O Antagonista no dia 1º. A compra foi registrada em 29 de janeiro deste ano, em cartório de Brazlândia, cidade distante 45km de Brasília. Em nota ao portal, a assessoria do Banco de Brasília (BRB) defendeu a integridade do financiamento, de R$ 3,1 milhões, concedido ao senador. Disse, ainda, que disponibiliza um percentual de financiamento de “até 80% do valor total do imóvel”. Sobre perguntas específicas em relação ao parlamentar, afirmou que “o BRB não comenta casos específicos de seus clientes”.

Luxo

Segundo o anúncio de venda, o imóvel tem 2,4 mil m², dois pavimentos, jardim e piscina, dentro de um condomínio com apenas três casas. No piso superior, sala e copas íntimas, uma brinquedoteca, quatro suítes amplas, sendo a master com hidromassagem para o casal, closet e academia. “Na área externa, piscina e spa com aquecimento solar, iluminação em led e deck, banheiros do espaço gourmet, depósito, quatro vagas de garagem cobertas e mais quatro descobertas.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE