Pandemia

Senador Major Olímpio tem piora em quadro de covid-19 e é transferido para UTI

O parlamentar, que testou positivo para a doença na última terça-feira, está internado em hospital particular de São Paulo. Médicos consideram quadro grave, mas não veem necessidade de intubação

Israel Medeiros
postado em 05/03/2021 18:31 / atualizado em 05/03/2021 18:50
 (crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
(crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O senador Major Olímpio (PSL-SP) foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nesta sexta-feira (5/3). O parlamentar testou positivo para covid-19 na última terça-feira e foi internado em um hospital particular de São Paulo. Por causa de uma piora em seu quadro que, segundo ele afirmou nas redes sociais, é grave, médicos optaram por levá-lo à UTI.

Na quarta-feira (3/3), ele chegou a participar, à distância, da votação do primeiro turno da PEC Emergencial no Senado. Ele apareceu ofegante no leito do hospital e não conseguiu concluir sua fala por causa de problemas de conexão. Nas votações nominais, no entanto, ele não estava presente.

Na manhã de hoje, circularam informações entre parlamentares próximos a Olímpio de que ele estaria intubado. Em contato com o Correio, no entanto, a assessoria de imprensa do político não sabia informar, até no período da tarde, se o parlamentar estava mesmo em um leito de UTI.

A confirmação veio somente no fim da tarde, através de um post no perfil do Twitter de Major Olímpio:

A equipe do Senador disse, ainda, que as atualizações sobre a saúde de Major Olímpio só serão publicadas em suas redes sociais. Na noite de ontem, o parlamentar havia publicado uma atualização em que agradecia aos seguidores pelas mensagens de carinho e dizia que estava evoluindo bem, apesar da gravidade do quadro.

No Twitter, colegas desejaram sua recuperação:

Major Olímpio não é o primeiro senador a contrair covid-19. Dos 81 senadores da atual legislatura, pelo menos 19 tiveram a doença. Dois deles morreram: o senador José Maranhão (MDB-PB) e Arolde de Oliveira (PSD-RJ). Apenas esta semana, foram pelo menos três casos confirmados em senadores e duas mortes de assessores.

Os funcionários eram do gabinete do senador Sérgio Petecão (PSD-AC) e faleceram à espera de leitos de UTI no Acre. Ao portal O Antagonista, Petecão disse que os considerava como seus irmãos e que não chegou a tempo de ajudá-los.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE