REDES SOCIAIS

"Existe algo a perder mais importante que a vida: a liberdade", diz Bolsonaro

Com a frase, o presidente publicou nas redes sociais um vídeo antigo em que menciona casos de corrupção de outros governos

Ana Mendonça*/Estado de Minas
postado em 09/03/2021 21:21

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais, nesta terça-feira (9/3), para se pronunciar sobre os últimos eventos políticos.

Junto da frase, o presidente publicou um vídeo antigo em que menciona casos de corrupção de outros governos. Nas imagens, Bolsonaro diz que se houvesse algum caso no seu governo, ele colocaria o eventual ministro “no pau-de-arara”.

Na segunda-feira (8/3), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava-Jato. Por isso, Lula voltou a ser elegível.

Já nesta terça-feira, a 2ª Turma do Supremo Tribunal julgou a ação de suspeição do ex-juiz Sergio Moro levantada pela defesa do ex-presidente.

Na decisão de ontem, Fachin determinou o arquivamento do habeas corpus sobre a suspeição de Moro, por perda de objeto, uma vez que não mais existiam as condenações que motivaram o pedido da defesa.

Em contrapartida, o processo encontrava-se nas mãos de Gilmar Mendes, devido a um pedido de vista feito em 2018. Ao pautar a suspeição, o ministro levou a Segunda Turma a discutir se mantém o arquivamento ou se julga o mérito do habeas corpus.

A sessão terminou sem resultado, após o ministro Kassio Nunes Marques pedir mais tempo para analisar o caso. Foram proferidos os votos de Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que votaram a favor da suspeição de Moro.

Bolsonaro já manteve ministros envolvidos em corrupção

Apesar da fala, o presidente já manteve ministros envolvidos em corrupção. Entre eles, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e o secretário Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, que foram denunciados por apropriação indébita eleitoral e corrupção, respectivamente.

Moro e Bolsonaro

Em abril de 2020, Sergio Moro anunciou que iria deixar o governo Bolsonaro após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo, profissional de confiança do ex-juiz. Moro era, até então, ministro da Justiça e Segurança Pública.

Quando foi chefe da pasta, Moro se manteve fora dos holofotes. Em contrapartida, após sair do cargo, ele e o presidente trocaram diversas farpas.

Na tarde de hoje, por exemplo, Bolsonaro publicou em seu perfil no Facebook uma foto da transmissão do julgamento da suspeição do ex-juiz. "Boa tarde a todos", escreveu o presidente na publicação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE