LUTO E INDIGNAÇÃO

Covid-19: morte do senador Major Olimpio provoca consternação nos Três Poderes

Aos 58 anos, o senador Major Olimpio não resiste às complicações da covid-19. Parlamentar era crítico da atuação do governo na pandemia e defendia a vacinação em massa. Políticos e outras autoridades lamentam a fatalidade

Luiz Calcagno
postado em 19/03/2021 06:00
 (crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)
(crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Internado desde 3 de março, o senador Major Olimpio (PSL-SP) não resistiu às complicações da covid-19 e teve morte cerebral confirmada ontem. Ele estava na UTI do Hospital São Camilo, em São Paulo, havia quase duas semanas. O parlamentar, que completaria 59 anos neste sábado (20/3), deixa esposa e filhos. A fatalidade causou consternação nos Três Poderes.

Eleito senador pelo PSL em 2018, na onda bolsonarista que varreu o país, Olimpio recebeu pouco mais de 9 milhões de votos, a quinta maior votação para o cargo na história. Ele rompeu com o presidente Jair Bolsonaro no ano seguinte, em meio à briga entre a direção do partido e a família do chefe do Executivo. O parlamentar acusava Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) de ser “ladrão de rachadinha”.

Em seus últimos dias antes do diagnóstico e da internação, Olimpio fez várias declarações em que defendeu a vacinação como única solução para que o Brasil vença a batalha contra a covid-19. Crítico ferrenho da forma como o governo conduz a pandemia, manifestou-se a favor da instalação da CPI da Covid para apurar a atuação do Executivo federal na crise sanitária. No mês passado, participou de uma manifestação contra lockdown, em Bauru (SP).

Natural de Presidente Venceslau (SP), Sérgio Olímpio Gomes tinha como principal pauta a segurança pública. Também era defensor da Lava-Jato e da prisão após condenação em segunda instância.

O assessor de imprensa do parlamentar, o jornalista Diego Freire, 33, também foi diagnosticado com covid-19 e está internado em estado grave. De acordo com apuração do Correio, ele segue intubado e respira com a ajuda de aparelhos.

Olimpio foi o terceiro senador a morrer vítima da covid-19. Em 8 de fevereiro, José Maranhão (MDB-PB), 87, também não resistiu a complicações da doença; e Arolde de Oliveira (PSD-RJ), 83, perdeu a batalha contra o vírus em 21 de outubro.

Pesar

Deputados e senadores prestaram homenagens, ontem, ao político paulista. Em nota, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), lamentou a morte de Olimpio e decretou luto oficial de 24 horas no Congresso. No Twitter, o parlamentar escreveu que conheceu o colega na Câmara, quando exerceram mandatos de deputados federais na legislatura passada. “Entramos juntos no Senado em 2019, ele, de SP, e eu, de MG”, afirmou. “Brincávamos nos corredores da Casa sobre a política do café com leite, momento da história do nosso país. Pensávamos diferente, mas gostávamos e respeitávamos um ao outro.”

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também usou as redes sociais para lamentar a morte: “É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento do senador Major Olimpio na tarde desta quinta-feira. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos”. Em nota, o deputado anunciou a restrição, por duas semanas, da presença física de parlamentares e funcionários no plenário, nas comissões e nas dependências da Casa.

Ministros do Supremo Tribunal Federal também se manifestaram sobre a fatalidade. Durante sessão de julgamento, o presidente da Corte, Luiz Fux, ressaltou que “o Brasil perde um parlamentar combativo pelo respeito aos valores institucionais do Estado democrático brasileiro”. “Solidarizo-me com o Congresso Nacional e com a família do senador. Envio, ainda, meu abraço aos familiares das mais de 285 mil vítimas da covid-19 no Brasil”, acrescentou. Já o presidente Jair Bolsonaro não se manifestou sobre a morte do parlamentar.

No Senado, a vaga de Olimpio será ocupada pelo suplente, Alexandre Luiz Giordano, também do PSL.

Alta hospitalar

Outros senadores conseguiram vencer a doença. Após 13 dias de internação, Lasier Martins (Pode-RS) teve alta do Hospital São Lucas, em Porto Alegre, ontem. Ele foi internado depois de ter sido diagnosticado com o vírus. De acordo com a assessoria do parlamentar, continuará a recuperação em casa.

Já o senador Alessandro Vieira, diagnosticado com covid-19 no início do mês, deve ter alta hoje. “Estou em pleno processo de recuperação da covid, graças a Deus, ao apoio da família e ao atendimento qualificado de diversos profissionais de saúde de Sergipe e São Paulo”, afirmou o parlamentar, que, mais tarde, lamentou a morte cerebral do colega. “Olimpio morreu lutando na linha de frente, do mesmo jeito guerreiro que sempre viveu”, enfatizou.

(Com agências Estado e Senado)

Aspas

“No dia de hoje, perdemos um companheiro de trabalho, um trabalhador, um amigo. Perdemos
mais um brasileiro”
Rodrigo Pacheco, presidente do Senado


“É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento do senador Major Olimpio. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos”
Arthur Lira, presidente da Câmara


“Foi um parlamentar combativo em relação aos valores morais e institucionais do Estado de direito e da legalidade democrática”
Luiz Fux, presidente do STF


“Com pesar, solidarizo-me com a família e amigos do nosso senador Major Olimpio, enviando-lhes minhas condolências. Força e fé”
Hamilton Mourão, vice-presidente da República

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE