PANDEMIA

Bolsonaro critica lockdown: 'Com Haddad ou Ciro, liberdade não existiria'

Segundo o presidente, o Brasil está tendo 'uma amostra do que é o comunismo e quem são os protótipos de ditadores'

Ana Mendonça*/Estado de Minas
postado em 12/04/2021 16:52
 (crédito: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(crédito: Minervino Junior/CB/D.A Press)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais, nesta segunda-feira (12/4), para pedir apoio a seus seguidores. Pelo Twitter, ele atacou dois adversários da eleição de 2018:Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT).

“Se a facada tivesse sido fatal, hoje você teria como presidente Haddad ou Ciro. Sua liberdade, certamente, não mais existiria”, pontuou Bolsonaro, se referindo às medidas de contenção da pandemia de COVID-19.

Bolsonaro escreveu que “nos momentos difíceis" seus apoiadores “devem unir forças” e “nunca ofender exatamente aquele que pode ser decisivo nesse salvamento”, se referindo a si mesmo.

Com o post, Bolsonaro postou um vídeo com frases ditas por ele. Nas imagens, defende a liberdade e é chamado de “representante do povo”.

O vídeo também mostra suas promessas de campanha e afirma que Bolsonaro cumpriu com todas elas.

 

 

Em uma tentativa de reconquistar o apoio popular, abalado durante a pandemia, o vídeo ainda traz imagens que mostram Bolsonaro abraçando pessoas e sendo “idolatrado”.

“Não desagregue, some, acredite... Convença aqueles que estão ao seu lado a defender a Constituição, em especial seu art. 5°, a nossa Bandeira verde e amarela…”, escreveu o presidente.

Durante a pandemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro adotou inúmeras medidas negacionistas. Desde negar a gravidade do vírus, postergar a compra de vacinas, não usar máscara e até provocar aglomerações.

 

 

 

*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE