Poder

Bolsonaro sobre impeachment: "Só Deus me tira da cadeira presidencial"

O presidente fez o comentário em resposta à decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia de estabelecer prazo de cinco dias para o presidente da Câmara, Arthur Lira, explicar os motivos de não ter analisado os pedidos de impeachment contra Bolsonaro

Ingrid Soares
postado em 15/04/2021 20:35 / atualizado em 15/04/2021 20:45
 (crédito: EVARISTO SA)
(crédito: EVARISTO SA)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em transmissão de live pelas redes sociais nesta quinta-feira (15/04), que “só Deus me tira da cadeira presidencial. E me tira, obviamente, tirando a minha vida”. O presidente fez o comentário ao se referir a uma decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia. A magistrada deu um prazo de cinco dias para o presidente da Câmara, Arthur Lira, explicar os motivos de não ter analisado os pedidos de impeachment contra Bolsonaro.

"A notícia que chegou agora, estou custando a crer que seja verdadeira, por Deus que está no céu. "Cármen Lúcia dá cinco dias para Arthur Lira explicar por que não abriu processo de impeachment contra Bolsonaro". Realmente, eu acho que uma coisa de muito errado vem acontecendo há muito tempo no Brasil. Vamos ver se procede essa informação, ver qual o encaminhamento que o Arthur Lira vai dar no tocante a isso, se vão abrir processo ou não. A gente vai se encontrar em outro lugar previamente para discutir esse assunto aí".

"Não quero aqui me antecipar, falar o que eu acho sobre isso aí. Só digo uma coisa. Só Deus me tira da cadeira presidencial. E me tira, obviamente, tirando a minha vida. Fora isso, o que nós estamos vendo no Brasil não vai se concretizar. Mas não vai mesmo. Não vai mesmo, tá ok?", bradou o presidente.

O mandatário declarou acreditar que está no caminho certo. "O Brasil não quebrou no último ano, no penúltimo ano ou no governo a, b ou c. O Brasil vem numa situação bastante complicada há décadas. Alguns querem que eu resolva limpe a casa quase que sozinho de uma hora para outra, não quero jamais me intitular como o faxineiro do Brasil, aquele que vai resolver os problemas do Brasil.o salvador da Pátria, mas acredito que estou fazendo a coisa certa", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE