Manobra

'Não há orçamento secreto, mas diferentes formas de se fazer emendas', diz Lira

Por meio de um "orçamento secreto", a manobra destinou R$ 3 bilhões a congressistas, num esquema já chamado de "tratoraço"

Agência Estado
postado em 11/05/2021 08:06
 (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), negou, nesta segunda-feira, 11, a existência de um esquema capitaneado pelo Palácio do Planalto para conseguir o apoio de parlamentares às pautas do governo. O Estadão revelou no fim de semana que, por meio de um "orçamento secreto", a manobra destinou R$ 3 bilhões a congressistas, num esquema já chamado de "tratoraço".
"Não há orçamento secreto, mas diferentes formas de se fazer emendas", argumentou Lira, em entrevista ao programa Sem Censura, da TV Brasil. O parlamentar disse não acreditar em falta de transparência e fez críticas à reportagem. "Houve excesso por parte do jornalismo", atacou.
A reportagem do Estadão repercutiu em Brasília nesta segunda-feira. Deputados já articulam a criação de uma "CPI do Tratoraço" para investigar o esquema montado pelo governo de Jair Bolsonaro.
 

CONTINUE LENDO SOBRE