Homenagens

Políticos e ministros do STF lamentam a morte de Mozart Vianna

O ex-secretário-geral da Mesa da Câmara morreu nesta segunda-feira (7/6) aos 69 anos

Jonatas Martins*
postado em 07/06/2021 20:17
 (crédito: Reprodução/TV Câmara)
(crédito: Reprodução/TV Câmara)

 

Políticos e ministros do STF lamentaram a morte de Mozart Vianna, que foi secretário-geral da Mesa da Câmara por mais de 20 anos. Ele esteve no cargo até 2011, retornando para um último período de 2013 a 2015. Mozart morreu nesta segunda-feira (7/6), aos 69 anos.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, manifestou em nome do STF o “extremo pesar pelo falecimento de Mozart Vianna, que por décadas prestou serviços à sociedade no auxílio de diversos presidentes da Câmara dos Deputados”.

"Conhecido em Brasília por seu imenso conhecimento do regimento e do funcionamento da Câmara, foi figura da mais alta relevância no debate das principais leis vigentes e era extremamente respeitado em todos os tribunais de cúpula. Deixo um sincero abraço aos familiares, amigos e servidores públicos pela perda deste notável brasileiro", afirmou Luiz Fux em nota.

O ministro Dias Toffoli também se expressou: "É com imensa tristeza que manifesto meu pesar pelo falecimento do ex-secretário-geral da Mesa (SGM) da Câmara dos Deputados, Mozart Vianna de Paiva, reconhecido pela competência, isenção na condução dos trabalhos, humildade e serenidade. Foram cerca de 40 anos prestando serviço à Câmara dos Deputados. Passou pela Constituinte e, durante 24 anos, esteve ao lado de 11 presidentes, auxiliando nas sessões. Meus sinceros sentimentos à família e a todos os servidores e parlamentares!"

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou: "Perdemos hoje o maior exemplo de servidor público. Dedicado à Câmara, ao interesse do Brasil, ao interesse público". O vereador e ex-deputado federal Chico Alencar (PSol-RJ) disse: "Só colhi dele respeito, conhecimento e admiração. Guardo dele histórias de grande lealdade, naquele ambiente tantas vezes turvo".

O senador José Serra (PSDB-SP) disse que Mozart Vianna era um “servidor público exemplar, reconhecido e respeitado por todos, o pai do regimento naquela Casa”. Paulo Rocha (PT), senador pelo Pará, também prestou sua “total solidariedade a familiares e amigos”.

O ex-presidente Michel Temer contou que "como secretário-geral da Câmara dos Deputados, Dr. Mozart prestou relevantes serviços à mim, ao Congresso Nacional e ao Brasil”. Eduardo Cunha, ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara, considerou o servidor como um “profissional muito respeitado por todos nós”.

* Estagiário sob supervisão de Mariana Niederauer

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE