Passeio ciclístico de Bolsonaro custou R$ 1,2 milhão aos cofres públicos

Os gastos com o reforço no policiamento foram apontados pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo

Agência Estado
postado em 12/06/2021 18:23 / atualizado em 12/06/2021 18:58
Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro compartilha foto do passeio ciclístico que fez em São Paulo -  (crédito: Jair Bolsonaro/Twitter/Reprodução)
Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro compartilha foto do passeio ciclístico que fez em São Paulo - (crédito: Jair Bolsonaro/Twitter/Reprodução)
A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo informou que foram gastos mais de R$ 1,2 milhão com o reforço no policiamento para a motociata com o presidente Jair Bolsonaro realizada neste sábado (12/6), na capital paulista e região de Jundiaí. Policiais das três forças de segurança estaduais foram convocados para garantir a segurança do presidente e a fluidez no trânsito.
Dos mais de 6,3 mil policiais escalados, 1.433 atuaram exclusivamente nas medidas relacionadas ao deslocamento dos manifestantes ao longo dos 129 km do trajeto. Foram empregados policiais de batalhões territoriais e especializados, como Baep, Choque, Trânsito, Rodoviária e Comando de Aviação da PM, Canil, além de equipes do Corpo de Bombeiros e do Resgate.
A operação contou ainda com dedicação exclusiva de 5 aeronaves, 10 drones e aproximadamente 600 viaturas, entre motos, carros, bases comunitárias móveis e unidades especiais. Todo ato foi monitorado pelo sistema Olho de Águia, por meio de câmeras fixas, móveis, motolink e bodycams.
O governo paulista autuou o presidente Bolsonaro, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o deputado Coronel Tadeu e o ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, por não terem usado máscara na manifestação.

CONTINUE LENDO SOBRE