Punição aplicada por Doria

Eduardo Bolsonaro e Carla Zambelli fazem vaquinha para pagar multa

Parlamentares foram multados em motociata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro por estarem sem máscara

Correio Braziliense
postado em 21/06/2021 13:57 / atualizado em 21/06/2021 13:58
 (crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
(crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Mesmo com salários de mais de R$ 33 mil, Os deputados Carla Zambelli (PSL-SP), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Hélio Lopes (PSL-RJ) lançaram uma vaquinha on-line para pagar multas aplicadas  pelo governo de São Paulo pelo não uso de máscara na motociata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, em 22 de junho.

A vaquinha não específica quantas multas serão pagas com o valor arrecadado, mas diz que o que sobrar será doado para instituições ou entidades sem fins lucrativos. "Nós vamos fazer essa maldade um ato de bondade", diz Eduardo Bolsonaro no vídeo de divulgação. Segundo a publicação, os três parlamentares vão depositar o valor de suas multas na vaquinha. Os bolsonaristas também atacam o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). 

Em apenas um dia de campanha, já foi arrecadada a meta que, então, foi dobrada para R$ 100 mil. Até a publicação desta matéria, já haviam sido arrecadados R$ 74 mil.


O governo de São Paulo multou os três deputados, o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e o presidente Jair Bolsonaro. Cada multa é no valor de R$ 552,71. Na manifestação, Bolsonaro discursou contra o uso de máscara e fez defesa do uso da cloroquina para tratamento da covid-19. “Eu propus ao ministro da Saúde que estude a possibilidade, levando-se em conta a ciência, de podemos ou não sugerir a não obrigatoriedade de máscaras para quem já contraiu o vírus ou já foi vacinado”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE