CASO COVAXIN

CPI vai requisitar proteção policial para deputado Luis Miranda e irmão

Parlamentar denuncia um esquema de fraudes no Ministério da Saúde e em outros setores do governo para a compra da vacina Covaxin contra a covid-19

Renato Souza
postado em 23/06/2021 13:21 / atualizado em 23/06/2021 17:02
 (crédito: Marcelo Ferreira)
(crédito: Marcelo Ferreira)

O senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, afirmou que vai solicitar proteção policial para o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e o irmão, servidor da Saúde. O parlamentar denuncia a existência de fraude na compra de milhões de doses da vacina da Covaxin.

O parlamentar revelou ter levado as denúncias diretamente ao presidente Jair Bolsonaro e seus auxiliares. Um documento enviado à CPI, obtido pelo Correio, aponta que o contrato de compra foi fechado com um valor 1000% maior do que o custo de seis meses antes da formalização.

"A CPI da Covid estará requisitando segurança para o deputado Luis Miranda, ao irmão e aos familiares. As informações que o deputado está declinando à imprensa e que trará a esta CPI são de extremo interesse público. Sua vida e a de sua família precisam estar resguardadas", escreveu Randolfe nas redes sociais.

Em entrevista à CNN Brasil, o parlamentar afirmou que seu irmão, Luis Ricardo Fernandes, chefe da divisão de importação do Ministério da Saúde, foi pressionado pelo governo a liberar com celeridade a autorização de importação da vacina Covaxin contra a covid-19. As pressões, por meio de aplicativo de mensagens, teriam ocorrido inclusive nos fins de semana, tarde da noite. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE