CRISE

Pacheco diz que Congresso não admitirá atentado a sua independência

Presidente do Senado rebateu falas de militares das Forças Armadas contra Omar Aziz e do presidente Jair Bolsonaro sobre voto impresso

Renato Souza
postado em 09/07/2021 16:56 / atualizado em 09/07/2021 17:04
 (crédito: Wilson Dias/Agência Brasil)
(crédito: Wilson Dias/Agência Brasil)

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, que também é presidente do Congresso, afirmou que o "parlamento não admitirá qualquer atentado a sua independência e a independência de seus"  integrantes.Pacheco rebateu declarações do presidente Jair Bolsonaro, que alegou nesta sexta-feira (9/7) que "com fraude não haverá eleições em 2022". O chefe do Executivo quer que as eleições ocorram com uso de voto impresso.

As falas de Pacheco se referem também aos comandantes das Forças Armadas, que, em nota, atacaram o senador Omar Aziz, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, após ele criticar o envolvimento de militares com supostos esquemas de corrupção no Ministério da Saúde.

"Todo aquele que pretender algum retrocesso do Estado democrático de direito esteja certo de que será apontado pelo povo brasileiro e pela história como inimigo da Nação", disse Pacheco sobre o que ele chamou de "suposições" em relação à subversão da democracia.

O parlamentar afirmou que conversou com o ministro da Defesa, Braga Netto, para tratar do texto publicado contra Omar Aziz. "Eu esclareci aos comandantes das Forças Armadas e ao ministro da Defesa a posição do Senado sobre isso. Ambos, Senado e Forças Armadas, deixaram suas posições e deram isso como assunto encerrado", completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE