CASO COVAXIN

Por ordem de Anderson Torres, PF envia ao STF pedido para investigar Miranda

Ministro da Justiça e o general Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, acusam o parlamentar de denunciar falsamente o presidente Jair Bolsonaro pelo crime de prevaricação

Renato Souza
postado em 20/07/2021 15:45 / atualizado em 20/07/2021 16:08
 (crédito: Pedro França/Agência Senado)
(crédito: Pedro França/Agência Senado)

A Polícia Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de autorização para investigar o deputado Luís Miranda (DEM-DF). O parlamentar denuncia a existência de um esquema de corrupção para recebimento de propina na compra de doses da vacina indiana Covaxin.O pedido inicial para que o congressista seja investigado partiu do ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo.

Ele repassou o pedido ao ministro da Justiça, Anderson Torres, que delegou a tarefa para a PF. Torres e Ramos acusam Miranda de imputar falsamente ao presidente Jair Bolsonaro o crime de prevaricação. Miranda alega que, junto ao irmão, Luís Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, levou até o chefe do Executivo a informação sobre as fraudes.

No entanto, Bolsonaro não teria levado o caso até a Polícia Federal, para que fosse investigado. Caso o Supremo autorize, as investigação terão andamento, e podem resultar na abertura de inquérito e em processo criminal, caso alguma ilegalidade seja comprovada.

O deputado afirma que, além do superfaturamento de doses, parlamentares, servidores do governo e empresários criaram o esquema fraudulento na compra da vacina indiana. Bolsonaro é alvo de um inquérito na PF aberto para investigar se ele prevaricou ou não. O presidente diz ter levado o caso ao ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que não tem competência para averiguar a existência de fraude.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE