PODER

Bolsonaro, de novo, ameaça as eleições após falar sobre voto impresso

Presidente incita apoiadores a irem às ruas para "último alerta" pela adoção do voto impresso

» Ingrid Soares
postado em 02/08/2021 06:00
 (crédito: Pedro Marra/CB/D.A Press)
(crédito: Pedro Marra/CB/D.A Press)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a ameaçar as instituições e a democracia, ontem, ao afirmar que, caso a PEC do voto impresso não seja aprovado na comissão especial da Câmara dos Deputados, “não haverá eleição”. O anúncio foi reproduzido por meio de vídeo chamada, ao vivo, do Palácio da Alvorada, para vários carros de som que participaram de manifestações favoráveis ao voto impresso.

“Sem eleições limpas e democráticas, não haverá eleição. Nós mais que exigimos, podem ter certeza, juntos, porque vocês são, de fato o meu exército, o nosso exército, fazer com que a vontade popular seja expressada na contagem pública do voto. Nós temos que ter a certeza de que quem você porventura votar, o seu voto vai ser computado para aquela pessoa. As eleições últimas estão recheadas de indício fortíssimo de manipulação. Isso não pode ser admitido por mim e nem por vocês. Nós, juntos, somos a expansão da democracia no Brasil. O nosso entendimento, a minha lealdade ao povo brasileiro, o meu temor a Deus, a nossa união nos libertará da sombra do comunismo e do socialismo”, ameaçou.

E foi mais além: disse que, se necessário, convocará os paulistanos a irem às ruas pelo voto impresso para dar um “último alerta”. “Se preciso for, para dar um último alerta àqueles que não tem respeito para conosco, eu convidarei o povo de São Paulo, a maior capital do Brasil, a comparecer à (Avenida) Paulista para que o som deles, a voz do povo, seja ouvida por aqueles que teimam em golpear a nossa democracia”, incitou.

Bolsonaro disse que a “maioria” dos parlamentares da Câmara é favorável ao voto impresso e, em nova investida contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, acusou-o de atuar para derrubar a PEC do governo. “Um ministro que deveria ser o primeiro a estar do lado da transparência das eleições, está exatamente do outro lado”, acusou. Na live na última quinta-feira, quando ficou de apresentar prova de violação das urnas eletrônicas, o presidente admitiu que “não tinha como se comprovar que as eleições não foram ou foram fraudadas”.

A votação da PEC 135/2019, que institui o voto impresso, deve ser votada na comissão especial na próxima quinta-feira. Foram registrados atos em quase todos os estados, nas capitais e no interior, e no Distrito Federal.

Marido de Joice não tem lesões, diz exame

O laudo do exame de corpo de delito feito no marido da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), o neurocirurgião Daniel França, constatou ausência de lesões recentes nas mãos do médico. O exame, feito no Instituto Médico Legal do Distrito Federal, buscou identificar se havia lesões que mostrassem sinais de luta e foi feito por conta das investigações que apuram se ela foi agredida dentro de casa, em um apartamento funcional, em Brasília. A deputada relatou ter acordado no chão de casa, em 18 de julho, ensanguentada e com dois dentes quebrados, sem se lembrar do que aconteceu. Daniel estava no apartamento, mas em outro quarto. Dois dias depois, a parlamentar foi a um hospital e constatou cinco fraturas na face e uma na coluna, levantando a suspeita de que ela poderia ter sido agredida.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE