CPI DA COVID

Advogado da Precisa confirma participação em reuniões com produtora da Covaxin

Túlio Silveira afirmou que esteve em reuniões técnicas e jurídicas com a empresa indiana Bharat Biotech. Na sequência, advogado passou a ficar em silêncio

Augusto Fernandes
postado em 18/08/2021 12:52 / atualizado em 18/08/2021 12:53
 (crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)
(crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O advogado Túlio Silveira, que defende a Precisa Medicamentos, afirmou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 que participou de ao menos duas reuniões com a Bharat Biotech, empresa indiana que fabricou a vacina Covaxin contra a covid-19.

Silveira é acusado de pressionar o Ministério da Saúde a concluir um acordo para a compra de 20 milhões de doses do imunizante pelo valor de R$ 1,6 bilhão. O contrato com a Bharat chegou a ser assinado em fevereiro deste ano, mas depois das revelações pela CPI de um esquema de corrupção envolvendo a aquisição do imunizante, o governo federal cancelou o acordo.

Questionado pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), se teria participado das tratativas da Precisa com a Bharat, ele comentou que participou de “uma ou duas reuniões técnicas e jurídicas”.

Calheiros continuou com perguntas sobre a negociação entre a Precisa e a Bharat, mas a partir daí, Silveira se recusou a responder e ficou calado. O advogado compareceu ao colegiado munido de um habeas corpus expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que lhe deu o direito de permanecer em silêncio apenas diante de perguntas que pudessem incriminá-lo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE