BRICS

Bolsonaro diz que relação com China é essencial no combate à pandemia

Presidente já chegou a dizer que o vírus da covid-19 foi fabricado no país asiático, mas afirma que, atualmente, Brasil e China vivem uma boa relação diplomática

Augusto Fernandes
postado em 09/09/2021 10:35
 (crédito: Reprodução/Ministério das Relações Exteriores da Índia)
(crédito: Reprodução/Ministério das Relações Exteriores da Índia)

O presidente Jair Bolsonaro participou, nesta quinta-feira (9/9), da 13ª cúpula do Brics, agrupamento de países de mercado emergente formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. segundo ele, o governo brasileiro mantém uma boa relação com os líderes das demais nações, em especial com o presidente chinês Xi Jinping.

Segundo Bolsonaro, a China tem dado uma importante contribuição ao Brasil para o enfrentamento à covid-19 com o fornecimento de insumos para vacinas contra a doença. No ano passado, o chefe do Executivo brasileiro desdenhou da CoronaVac, imunizante produzido pelo laboratório chinês Sinovac, ao prometer não comprar a vacina para distribuir à população brasileira. Recentemente, ele irritou a nação asiática ao acusar a China de ter fabricado o vírus causador da covid-19.

Nesta quinta, contudo, Bolsonaro elogiou a parceria com o país da Ásia e destacou “o bom estado de nossas relações bilaterais em diversas vertentes, mais especialmente no âmbito comercial de investimentos”. “Essa parceria se tem mostrado essencial para a gestão da pandemia no Brasil, tendo em vista que parcela expressiva das vacinas oferecidas à população brasileira é produzida com insumos originários da China”, disse.

Bolsonaro lamentou que o encontro com os demais presidentes não tenha ocorrido de forma presencial, mas agradeceu a cada um pelo bom relacionamento diplomático.

Segundo ele, a parceira estratégica do Brasil com a Índia “vive hoje um excelente momento”. O chefe brasileiro lembrou que instrumentos assinados durante a viagem que ele fez ao país asiático em janeiro do ano passado “estão rendendo frutos e nossa cooperação tem avançado, como nas áreas de ciência e tecnologia, energia e saúde, sobretudo no combate à pandemia da covid-19”.

“O comércio bilateral tem crescido, em mais um sinal da retomada de nossas economias e do potencial de nossas relações”, afirmou Bolsonaro.

“Parceria estratégica”

O presidente ainda destacou que o Brasil mantém uma “parceria estratégica” com a África do Sul há mais de uma década. “Juntos, temos contribuído para desenvolver dinâmica própria e coordenação em favor do fortalecimento do Brics. Nossos laços humanos e nossas similaridades tornam o diálogo fluido e natural em temas como defesa, ciência e tecnologia, meio ambiente, comércio e investimentos, o que se reflete em nosso entendimento no Brics.”

Por fim, Bolsonaro ressaltou as relações bilaterais “de grande envergadura” com a Rússia. “Para além das excelentes relações políticas e da importância da nossa cooperação em ciência e tecnologia e de nossas trocas comerciais concentradas no agronegócio, temos interesse em diversificar nossa pauta exportadora de forma condizente com o desenvolvimento de ambas as economias”, destacou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE