Investigação

CPI da Covid desiste de ouvir Marcelo Queiroga na segunda-feira

Grupo majoritário da CPI da Covid se reuniu e decidiu que o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não será mais nesta segunda-feira (18/10). Nome do médico Carlos Carvalho é avaliado para o lugar

Israel Medeiros
postado em 12/10/2021 13:42 / atualizado em 12/10/2021 16:13
 (crédito: Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (foto: Walterson Rosa/MS))
(crédito: Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (foto: Walterson Rosa/MS))

A cúpula da CPI da Covid decidiu, nesta terça-feira (12/10), que a Comissão deixará de ouvir o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na semana que vem. A convocação dele estava prevista para a próxima segunda-feira (18/10) e seria a terceira vez que Queiroga compareceria à sabtina para prestar esclarecimentos.

Durante a última semana, o ministro respondeu questionamentos da CPI por escrito. No lugar dele, os senadores decidiram ouvir o médico Carlos Carvalho. Mas, para isso, é necessário que a convocação seja aprovada na sessão extraordinária marcada para a próxima sexta-feira (15/10).

Carlos Carvalho seria responsável por coordenar um estudo com parecer contrário ao uso do chamado kit Covid, com medicamentos sem eficácia comprovada contra a doença. Em entrevista ao programa Conexão Globonews, hoje, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), defendeu a importância de ouvir Carlos Carvalho.

“Faz sentido ouvir o Dr. Carlos Carvalho. Ele foi uma pessoa que participou diretamente desse estudo que até então a gente não sabia. Quando o ministro Queiroga foi à CPI, perguntamos a ele se ele era a favor ou contra o uso de cloroquina no tratamento precoce e ele dizia que não podia se posicionar porque tinha um estudo sendo feito", disse.

"Ele [Queiroga] ficava o tempo todo em cima do muro alegando que existia um grupo de profissionais na área de saúde e hoje a gente vê que foi comandado pelo Dr. Carlos Carvalho”, afirmou Aziz.

O senador também defendeu a competência do médico e disse que teve uma conversa "demorada" com ele nesta terça. “É uma pessoa que tem uma lucidez enorme e tem uma história de vida muito grande. Conversei com ele hoje demoradamente. Antes procurei amigos, profissionais da área de saúde que me falaram sobre ele e me disseram que ele é uma pessoa seríssima. Estava se aposentando e quando veio a pandemia, largou a aposentadoria para atuar nessa área. Ele é pneumologista, professor da USP e trabalha no Hospital das Clínicas”, afirmou.

Caso a oitiva do Dr. Carlos Carvalho seja aprovada, ocorrerá na segunda-feira, no lugar de Queiroga. Para o mesmo dia está prevista uma oitiva com parentes de vítimas da covid-19. A leitura do relatório do senador Renan Calheiros está prevista para a próxima terça-feira (19). Segundo o presidente da CPI, Omar Aziz, a Comissão "já tem dados suficientes para indiciar acima de 40 pessoas".

A votação do relatório de Calheiros deve ocorrer na quarta-feira (20), marcando o encerramento dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE