PL DOS ABSORVENTES

Tabata Amaral entra com queixa-crime contra Eduardo Bolsonaro no STF

Dias Toffoli é o ministro responsável por avaliar o pleito da parlamentar. Filho do presidente afirmou que Tabata teria ligação com suposto dono da P&G

Cristiane Noberto
postado em 26/10/2021 12:59 / atualizado em 26/10/2021 13:25
 (crédito: Câmara dos Deputados/Divulgação

)
(crédito: Câmara dos Deputados/Divulgação )

A queixa-crime apresentada pela deputada Tabata Amaral (PSB-SP) no Supremo Tribunal Federal (STF) começou a tramitar na segunda-feira (26/10). A parlamentar acusa o filho 02 do presidente, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de difamação.

Eduardo fez publicações nas redes sociais nas quais afirma que Jorge Paulo Lemann, um dos homens mais ricos do Brasil, teria ligação com a empresa de produtos de higiene P&G e que, por isso, a deputada teria apresentado o projeto de gratuidade de absorventes, fortalecendo o “lobby” com o empresário.

Contudo, Tabata nega as acusações e afirma que, além de não ter ligação com Lemann, o empresário não é da P&G. Nas redes sociais, a parlamentar compartilhou uma notícia na qual falava sobre o caso.

“Não podemos tolerar que as mentiras guiem o debate público, sobretudo quando envolvem lutas essenciais, como o combate à pobreza menstrual!”, escreveu no Twitter.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE