Colégio Militar

Exército teria mudado status militar de Bolsonaro para permitir matrícula de filha

Laura, de 11 anos, foi matriculada no Colégio Militar de Brasília sem passar por processo seletivo

Correio Braziliense
postado em 05/11/2021 12:31 / atualizado em 05/11/2021 14:36
 (crédito: EVARISTO SA)
(crédito: EVARISTO SA)

O Exército modificou o status militar do presidente Jair Bolsonaro, de capitão reformado para capitão da reserva, para que a filha dele, Laura Bolsonaro, pudesse ser matriculada no Colégio Militar de Brasília. A informação foi divulgada pela Folha de S. Paulo.

A menina de 11 anos teria sido matriculada na escola sem passar por processo seletivo, o que só é permitido para filhos de militares.

O processo sobre a matrícula de Laura foi colocado em sigilo pelo Exército até que termine o atual mandato de Bolsonaro.

Em uma resposta via Lei de Acesso à informação (LAI), o Exército disse que o processo de matrícula da filha do presidente seguiu a legislação “considerando que Bolsonaro é capitão da reserva do Exército brasileiro".

Porém, Bolsonaro é reformado. A principal diferença entre os dois status é que membros reformados não podem ser chamados para missões, ao contrário dos membros da reserva.

A portaria que estabelece as regras para ingresso de filhos de militares em colégios militares não faz menção a dependente de militares reformados, como é o caso de Bolsonaro.

O Correio tentou contato com o Colégio Militar de Brasília, mas até a última atualização dessa matéria não obteve resposta. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE