Lira: sem resistência a Auxílio permanente

Israel Medeiros
postado em 24/11/2021 00:01

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse, ontem, que não há resistência por parte de deputados à proposta de transformar o Auxílio Brasil — substituto do Bolsa Família — em um programa de transferência de renda permanente no valor de R$ 400. Segundo os cálculos do governo, o programa só tem recursos para funcionar até dezembro de 2022, caso a PEC dos Precatórios seja aprovada pelo Congresso em tempo hábil.

No entanto, há mudanças sugeridas ao texto por senadores que querem tornar o benefício permanente. Lira, um dos principais interessados na tramitação rápida da proposta, afirmou que há conversas em andamento com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), relator do texto, para buscar aprimoramentos. Ele disse esperar que a proposta não sofra grandes modificações, mas Bezerra anunciou, ainda ontem, seis alterações ao texto, incluindo a "natureza permanente do Auxílio Brasil".

"Em relação a propostas de transformar o auxílio temporário em permanente e criar uma comissão permanente de avaliação e acompanhamento de precatórios no Congresso Nacional, não teriam por parte da Câmara nenhum tipo de resistência", ressaltou Lira em entrevista à GloboNews.

O presidente da Câmara também reafirmou o que declarou na semana passada, de que a PEC dos Precatórios não abre espaço suficiente no orçamento para bancar um aumento no salário dos servidores no ano que vem. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que pretende dar um reajuste para todo o funcionalismo com o espaço aberto pela PEC dos Precatórios.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE