ELEIÇÕES 2022

Moro sobre Bolsonaro: "Esse governo é muito ruim. O presidente está com medo"

Ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro respondeu à provocação do presidente de que ele não aguentaria 10 segundos de debate

Thays Martins
postado em 07/12/2021 09:21 / atualizado em 07/12/2021 19:52
 (crédito: EDUARDO MATYSIAK / AFP e Evaristo Sá/AFP)
(crédito: EDUARDO MATYSIAK / AFP e Evaristo Sá/AFP)

O ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro Sergio Moro (Podemos) criticou a atual gestão do Planalto e disse que o "governo é muito ruim". Em entrevista à Nova Brasil FM, na manhã desta terça-feira (7/12), Moro respondeu a uma provocação de Bolsonaro criticando o governo. Nesta segunda-feira (6/12), o presidente disse que o ex-ministro não aguenta 10 segundos de debate

"Não quero ser ofensivo com ninguém. Esse governo é muito ruim. Esse governo é tão ruim porque, normalmente, é muito fácil um governo se reeleger. Você está na máquina. Se você faz um governo minimamente bom, você consegue se reeleger. O presidente está com medo. Com isso, quer ficar desviando o foco das pessoas. Por isso, fica lá ofendendo", disse Moro.  

O pré-candidato ao Planalto em 2022 também disse que quando aceitou ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro não acreditava nas falas do presidente. "Tinha toda uma expectativa de que o governo poderia dar certo. Tudo bem, o presidente era uma pessoa controvertida. Mas aquelas declarações eram tão malucas que ninguém acreditava que aquilo poderia virar uma politica pública", afirmou. 

Ainda assim, Moro disse não se arrepender de ter feito parte do governo. "Tinha uma energia, uma visão de que estávamos caminhando para um país melhor. Tinha uma chance da dar certo", disse. "Hoje, o país não tem projeto, não tem liderança, não tem princípios, nem valores, nem diálogo. A gente quer tudo isso de volta", finalizou. 

Bolsonaro x Lula 

Moro também comentou a declaração de que Bolsonaro teria comemorado a soltura do ex-presidente Lula. De acordo com o ex-ministro, Lula não está preso era benéfico para Bolsonaro. "Todo mundo em Brasília sabe disso. O presidente foi eleito com o discurso de ser contra a corrupção, mas todo mundo sabe que ele não fez nada. Quando foi revista a execução em segunda instância, a voz corrente no Planalto era de que a soltura beneficiava o presidente. Era interessante para ele", afirmou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE