ELEIÇÕES

Bolsonaro sobre vice: pode ser "nordestino, mineiro ou general"

Segundo o chefe do Executivo, o anúncio do escolhido para compor a chapa deve ocorrer em março. Ele citou também que não adianta pensar em estratégia e não poder governar. "Ter um vice que te atrapalha. Isso é horrível"

Ingrid Soares
postado em 08/12/2021 22:24
 (crédito: Evaristo Sá/AFP)
(crédito: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (08/12), que deverá convidar para o cargo de vice de sua chapa em 2022 à reeleição um nordestino, ou um mineiro, ou, ainda, um general. O chefe do Executivo disse que deverá fazer o anúncio em março. A declaração ocorreu durante entrevista à Gazeta do Povo. Na última semana, circularam nomes como o do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do ministro da Casa Civil, general Braga Netto, para o posto, o que foi descartado pelo presidente.

“Começou a circular o nome na imprensa. Eu já falei: O nome que circular já está riscado. Então já tenho dois nomes riscados para possível vice. Alguns ministros ou gente da assessoria deles quer se cacifar, para dizer que é o “bam bam”, e já está cortado. E eu falei, né, o ideal, sem pensar em votos, além da competência, obviamente: um nordestino ou mineiro”.

Bolsonaro relatou, porém, que já conversa com o possível vice. "Já estou conversando com um possível vice aí, porque não pode ser um casamento de última hora. E esse nome fará bem para mim, para o governo, para o Brasil. Tem que ser um nome respeitado, não é só porque é nordestino, só porque é mineiro, só porque é paulista. Tem que ter algo mais", completou.

"Respeitabilidade"

O chefe do Executivo citou também que não adianta pensar em estratégia e não poder governar. "A gente não tá pensando em ter uma chapa para ganhar a eleição, para ganhar eleição e depois não poder governar. Isso é horrível, isso é péssimo. Ter um vice que te atrapalha. Isso é horrível. Então o vice que estamos trabalhando aí pode ser um general de quatro estrelas, também pode ser. E vai acontecer em março, talvez um pouco depois, a gente anuncia o nome dele. Um nome que gere respeitabilidade à nossa chapa".

Por fim, afirmou que já estuda nomes para substituir cerca de dez ministros que devem deixar a Esplanada em 2022 para concorrer. Afirmou também que levará em conta sugestões dos chefes das pastas para a escolha dos substitutos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE