Senadores criticam

Correio Braziliense
postado em 21/12/2021 00:01

Senadores criticaram o presidente Jair Bolsonaro (PL) pela intenção de divulgar os nomes dos técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que aprovaram a autorização para que a vacina da Pfizer contra a covid-19 seja aplicada em crianças de cinco a 11 anos.

Integrantes da Frente Parlamentar Observatório da Pandemia emitiram, ontem, uma nota em solidariedade à Anvisa, alertando para as ameaças que os servidores dessa agência vêm sofrendo após as recentes declarações de Bolsonaro.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também foi criticado por senadores por ter apoiado, ontem, a intenção de Bolsonaro de divulgar os nomes dos técnicos da Anvisa (leia reportagem na página 6).

Na nota, a frente parlamentar — da qual fazem parte os senadores Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Renan Calheiros (MDB-AL), entre outros — declara que, "mais uma vez, o presidente Bolsonaro, na falta de fundamentos científicos para responder à decisão da Anvisa, recorre às fake news, ao ódio e à incitação à violência, colocando em risco a vida e a integridade física dos servidores técnicos e qualificados da agência, em atitude abertamente fascista, como tem sido o costume em todo o seu governo e, em especial, durante o enfrentamento à pandemia".

A senadora Zenaide Maia (Pros-RN) cobrou do Congresso a manifestação de repúdio à "agressão e perseguição" aos técnicos da Anvisa. Para o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), "o próprio presidente da República estimulando ameaças contra servidores que apenas estão cumprindo suas missões técnicas, alinhados com as principais agências do mundo, é postura típica das milícias, que usam força e intimidação para impor vontades". (Agência Senado)

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE