Pesquisa eleitoral

Exame/Ideia: Lula continua crescendo e chega a 41%; Bolsonaro cai para 24%

A pesquisa ouviu 1500 pessoas. Lula venceria todos os candidatos em um eventual segundo turno

Pedro Grigori
postado em 13/01/2022 22:08 / atualizado em 13/01/2022 22:54
 (crédito: Reprodução/PodPah)
(crédito: Reprodução/PodPah)

A primeira pesquisa eleitoral do Instituto Ideia em 2022 continua mostrando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como líder isolado da disputa pela Presidência da República. O petista tem 41% das intenções de voto em um primeiro turno, registrando um aumento de quatro pontos percentuais em relação a última pesquisa do instituto, divulgada em dezembro de 2021.

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) continua caindo nas intenções de voto. O chefe do Planalto marcou 24%, três pontos percentuais a menos do que na última pesquisa.

O ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) continua se mostrando o nome mais forte da terceira via, com 11%. Ciro Gomes (PDT) fica em quarto com 7%, seguido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4%. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), aparece com 1%.

Simone Tebet (MDB), Alessandro Vieira (Cidadania), André Janones (Avante), Leonardo Péricles (UP) e Luiz Felipe D’Ávila (Novo) não pontuaram. Brancos e Nulos marcaram 7%, e os que não sabem ou não quiseram opinar foram 4%.

A pesquisa foi encomendada pela Exame, ouviu 1.500 pessoas, por telefone, entre os dias 9 e 13 de janeiro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O grau de confiança da pesquisa é de 95%, segundo o Instituto Ideia.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno, o ex-presidente Lula venceria todos os concorrentes com uma boa vantagem. Contra Bolsonaro, venceria por 49% a 33%; contra João Doria seria 49% a 26%; contra Moro seria por 47% a 30% e contra Ciro Gomes por 47% a 25%.

Além de perder para Lula, Bolsonaro não sairia vencedor em um segundo turno contra Moro (38% a 32%) e nem contra Ciro (40% a 34%). Mas o atual presidente venceria o governador de São Paulo, João Doria, por 34% a 28%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE