PLANALTO

Bolsonaro diz que dará "ênfase total na geração de empregos e no combate à inflação"

Presidente aproveitou para alfinetar o PT: "Aqui ninguém tem memória curta. Sabe muito bem o que aconteceu com nossa pátria nas últimas décadas"

Ingrid Soares
postado em 28/01/2022 11:20
 (crédito: Reprodução / TV Brasil)
(crédito: Reprodução / TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou nesta sexta-feira (28/1) da cerimônia de assinatura da Medida Provisória que cria o Programa Nacional de Prestação de Serviço Civil Voluntário, ocorrida no Palácio do Planalto. Durante discurso, o chefe do Executivo disse que neste ano o governo dará "ênfase total na geração de empregos e no combate à inflação" e aproveitou para alfinetar o PT.

"Aqui ninguém tem memória curta. Sabe muito bem o que aconteceu com nossa pátria nas últimas décadas. Quis o destino e Deus que assumíssemos o governo em janeiro de 2019. Pegamos um Brasil com sérios problemas éticos, morais e econômicos", apontou.

"Muita coisa boa mesmo com os problemas, mesmo lamentando as mortes, aconteceram em nosso país. Na virada do ano, conseguimos prorrogar a isenção de IPI para taxistas e pessoas com deficiência. Também prorrogamos a desoneração da folha de pagamento que atendeu várias categorias. Dezenas de outras medidas foram tomadas, outras estão em vias de serem externadas. Tudo buscando o bem maior da população".

Bolsonaro ainda comentou sobre o tombo de 3,9% do PIB em 2020. "Quando pensavam que no ano retrasado perderia 10% do PIB, a nossa perda, que foi quase que unânime no mundo inteiro, foi surpreendente, ficamos na casa dos 4%", completou.

Programa

Por fim, o presidente seguiu criticando a oposição e elogiou a proposta do ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, que instituiu o Programa Nacional de Serviço Civil Voluntário e o protocolo de intenções entre o MTP e o Sistema S para a execução do programa e qualificação de trabalhadores.

O programa é centrado em cursos de qualificação para trabalhadores desempregados combinados com a execução de atividades de interesse público nos municípios participantes. Priorizando os jovens entre 18 e 29 anos, e também os trabalhadores acima de 50 anos que estão fora do mercado há mais de dois anos, busca-se aumentar a empregabilidade desses trabalhadores e transferir renda por meio da bolsa qualificação.

"Essa proposta é mais uma dessas muito bem-vindas. Há pouco tempo, era comum você ter dois ou três escândalos na área do governo federal em nosso Brasil. Hoje nós temos duas ou três ações excepcionais por semana em nosso governo. É um governo que se dedica à causa do bem comum. Um ministério técnico e cada um de vocês nos orgulha, não interessa qual seja o ministério. Esse orgulho se faz presente pelas pessoas que vocês tem para trabalhar ao seu lado nos respectivos ministérios. Sem vocês, nós nada poderíamos fazer. Continuaremos o nosso trabalho buscando esse ano dar ênfase total na geração de empregos e no combate à inflação", concluiu.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE