ELEIÇÕES 2022

Ministro da Cidadania faz discurso eleitoreiro e ignora problemas do país

Em clima de campanha, João Roma diz que os recursos na área social foram "triplicados", mas evita falar dos brasileiros não contemplados pelo programa que ocupou o lugar do Bolsa Família

Rosana Hessel
postado em 28/01/2022 22:11 / atualizado em 28/01/2022 22:13
 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) não consegue melhorar a popularidade nas pesquisas de opinião, devido à piora na economia, com inflação corroendo o poder de compra do brasileiro, o ministro da Cidadania, João Roma, fez um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão na noite desta sexta-feira (28/1), em tom bastante eleitoreiro, ignorando os atuais problemas do país. A fala otimista mostrou um Brasil que poucos conhecem e que o objetivo era gerar fatos positivos no meio da turbulência gerada com os cortes do Orçamento de 2022 na educação e na área social e da fuga do presidente do depoimento na Polícia Federal, previsto para a tarde de hoje.

No discurso de quase cinco minutos, Roma fez um balanço das ações da pasta, como o Auxílio Brasil — que tomou o lugar do Bolsa Família — que garante o mínimo de R$ 400 para 17 milhões de famílias em janeiro, mas não mencionou como o governo pretende socorrer os mais de 20 milhões de brasileiros que recebiam o auxílio emergencial e que não foram incluídos no novo programa. Não à toa e devido aos retrocessos na economia, o país está volta ao mapa da fome.

Na fala de quase cinco minutos, Roma explicou que os investimentos na área social foram triplicados e apresentou conceitos e diretrizes do Auxílio Brasil. O novo programa de transferência de renda modernizou o Bolsa Família, ampliou para R$ 400 o valor de pagamento mínimo mensal do benefício e chegou, em janeiro de 2022, ao patamar inédito de 17,5 milhões de famílias contempladas.

"O Auxílio Brasil é o maior programa permanente de transferência de renda da história do País. Cumprimos a meta de zerar a fila, incluindo todos os que estavam aguardando. É uma conquista do povo brasileiro que contou com o apoio do Congresso. Um recurso importante, que faz toda a diferença no orçamento das famílias”, disse Roma.

Contudo, de acordo com pesquisas recentes, cerca de 55% da população conviviam com a insegurança alimentar em 2020. Não à toa, no ano passado, cenas de pessoas na fila de açougue buscando ossos e carcaças e não deixam dúvidas dessa realidade. E, atualmente, diante do encolhimento da renda média do trabalhador para o menor patamar desde 2012, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, muitas famílias precisam escolher entre pagar as contas ou comprar comida devido à carestia que está persistente e disseminada na economia.

O desemprego ainda é elevado e as vagas que são criadas no mercado de trabalho são em grande maioria, de baixa remuneração ou informais. Por cona da inflação acima de 10% ao ano, o novo salário mínimo, de R$ 1.212, não dá para comprar duas cestas básicas, de acordo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), considerando o preço médio nacional de R$ 700.

Roma ainda destacou a a decisão do governo de criar o Auxílio Gás, que permitiu a mais de 5 milhões de brasileiros em janeiro de 2022 o acesso direto ao valor equivalente à metade do preço de um botijão e destacou a inclusão automática de 12 milhões de cidadãos na Tarifa Social de Energia Elétrica.

“É a garantia de uma tarifa de energia elétrica até 65% mais barata para cerca de 24 milhões de famílias. Todos os que estiverem no Cadastro Único e que preencham os requisitos, terão direito de forma automática ao desconto. Confira sua conta e perceba a diferença”, afirmou.

O ministro ainda citou medidas da pasta como Alimenta Brasil e pelo Brasil Fraterno – Comida no prato, que facilita a logística de doações. E, ao comentar sobre os desastres com as chuvas no país, principalmente, na Bahia em Minas Gerais, ele agradeceu o engajamento da população.

De acordo com a pasta, além de ações de acolhimento e abrigamento, o ministério foi responsável pela entrega de 24.327 cestas de alimentos a 76 municípios mineiros e outras 38.087 a 68 cidades baianas até a última quarta-feira (26/01). O quantitativo representa um total de 563 toneladas de alimentos repassados aos municípios.

“A força-tarefa reuniu vários ministérios e contou com a cooperação e a solidariedade de milhares de voluntários que fizeram doações ou dedicaram seu tempo a acolher e apoiar as vítimas dessa calamidade. Esta atitude inspira e motiva o governo federal a seguir de mãos dadas com os brasileiros, promovendo a prosperidade e reafirmando as principais conquistas de nossa Pátria”, acrescentou.

 

Confira a íntegra do pronunciamento:

 

Brasileiras e brasileiros,

O Governo Federal está unido para cuidar daqueles que mais precisam.

Nesse sentido, esclareço que os recursos dedicados aos principais programas sociais foram triplicados, para que o cidadão exerça sua cidadania plena, num momento em que a economia do nosso País volta à normalidade.

Aqui, ninguém fica para trás. E, fruto desse compromisso, viemos hoje orientar e informar a população sobre importantes conquistas sociais.

A primeira delas é o Auxílio Brasil, o maior programa permanente de transferência de renda da história do País. Uma conquista do povo brasileiro, que contou com o apoio do Congresso Nacional.

Já em vigor, o Auxílio Brasil garante um mínimo de R$ 400 para mais de 17 milhões de famílias. É mais auxílio para mais brasileiros, todos os meses, garantindo o sustento dos mais pobres.

Um recurso importante, que faz toda a diferença no orçamento das famílias. Cumprimos também com a meta de zerar a fila, incluindo no programa todos que estavam aguardando.

Outro avanço importante é a garantia da tarifa de energia elétrica até 65% mais barata para cerca de 24 milhões de famílias. Uma nova lei garante que todos que estiverem no Cadastro Único, e que preencham os requisitos, tenham direito de forma automática ao desconto.

Um alívio neste momento, com adesão fácil, rápida, e sem burocracia.

Confira sua conta e perceba a diferença. Este é mais um direito seu, garantido pela ação eficiente do Governo Federal.

Conseguimos também fazer com que o botijão de gás ficasse mais em conta. O Auxílio Gás veio para ajudar as famílias que mais precisam na hora da compra.

Se nos orgulhamos da nossa vocação para o Agro, respondendo pelo fornecimento de cerca de 20% da produção mundial, não nos conformamos ao saber que ainda existem brasileiros passando fome. Uma coisa que não pode faltar é comida no prato.

Isso nos moveu a estruturar o Programa Alimenta Brasil, que vai integrar de verdade a produção do agricultor familiar ao consumo local de alimentos pelos mais necessitados.

Também criamos o Brasil Fraterno-Comida no Prato, que facilita a logística e as doações para as entidades sociais e os bancos de alimentos, fazendo, de fato, com que aquilo que está sobrando de um lado chegue à mesa de quem necessita.

Você, que recebe o Auxílio Brasil, conta com outra boa novidade. Agora, quem conseguir uma vaga com carteira assinada não perde mais o seu benefício mensal. No programa anterior, quem estava empregado deixava de receber.

Com o novo Auxílio Inclusão Produtiva, o beneficiário passa a ter R$ 200 a mais, todos os meses, nos seus primeiros dois anos de trabalho. Mais uma força para que você, brasileiro, tenha a liberdade para conquistar mais qualidade de vida para sua família.

O apoio às nossas crianças e aos nossos jovens é outro pilar do Governo Federal.

O Auxílio Brasil fortalece os cuidados com a primeira infância e reforça a importância da iniciação científica e do esporte de base, que começam na escola. Um estímulo ao pleno desenvolvimento de nossa juventude.

É assim que este Governo trabalha. Inovando, cuidando, fazendo mais e somando esforços com a sociedade.

Encerro reafirmando o nosso empenho em proteger as pessoas e reparar os danos causados pelas chuvas dos últimos meses.

Uma força-tarefa reuniu vários ministérios e contou com a cooperação e a solidariedade de milhares de voluntários que fizeram doações ou dedicaram seu tempo a acolher e apoiar as vítimas dessa calamidade.

A todos vocês, meu muito obrigado.

Essa atitude inspira e motiva o Governo Federal a seguir de mãos dadas com os brasileiros, promovendo a prosperidade e reafirmando as principais conquistas de nossa Pátria.

Que Deus continue abençoando o nosso Brasil.

Muito obrigado e boa noite.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE