Muito além da política

Correio Braziliense
postado em 19/03/2022 00:01
 (crédito: Caio Gomez)
(crédito: Caio Gomez)

Independentemente do desfecho da crise Telegram x Supremo Tribunal Federal/Policia Federal, o mal-estar entre o ministro da Justiça, Anderson Torres, e o STF vai continuar. Nem os ministros da Corte nem o time da PF, instituição da qual Anderson faz parte, entenderam o fato de o ministro não apoiar um pedido da própria instituição.

Vale lembrar que, ao suspender o Telegram atendendo a pedido da PF, o ministro do STF Alexandre de Moraes tenta fazer com que o aplicativo passe a atender as determinações judiciais, especialmente em casos de suspeitos de pedofilia e outros crimes graves. Os federais dizem que o aplicativo é um dos mais usados por abusadores sexuais de crianças e a polícia simplesmente não consegue acesso a dados dos suspeitos.

Cartada perdida

A longa carta que líderes do PSDB escreveram a Eduardo Leite não fez reverter as conversas para lá de adiantadas com o PSD. A leitura é de que o apelo dos tucanos pela permanência do governador do Rio Grande do Sul no partido tem peso político, não dá qualquer garantia. No PSD, se a candidatura decolar, o caminho natural de muitos tucanos será apoiá-lo. Esses aliados reforçam que está tudo pronto para a filiação de Leite ao PSD na próxima semana. Vejamos as próximas 48 horas.

Filiação sem Lula

A festa para receber o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin no PSB não terá a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes da foto dos dois em eventos partidários, o petista precisa acalmar as alas da legenda que resistem a essa parceria e não veem com naturalidade a formação da chapa com o ex-tucano.

À la Marco Maciel

Entre os petistas, o que se diz é que o ex-presidente é o único que, até o momento, além de liderar as pesquisas, tem chapa completa e com um nome agregador e discreto na vice. Muitos petistas, aliás, dizem que Alckmin está para Lula como Marco Maciel esteve para Fernando Henrique Cardoso no passado. Um vice que faz política, mas não aparece.

No embalo de Geraldo...

Não será surpresa se a filiação de Alckmin for acompanhada de menções a Márcio França como pré-candidato a governador de São Paulo. Não é provocação aos petistas e, sim, marcação de espaço.

CURTIDAS

Vem aí o "Luneto"/ A campanha oficialmente nem começou, Lula ainda nem se lançou candidato numa festa de seu partido. Porém, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (foto), pré-candidato ao governo estadual, já fez chegar aos petistas que não irá recusar voto de quem apoia Lula para presidente da República.

Por falar em Bahia.../ A avaliação de baianos das mais diversas matizes é a de que não adianta brigar com o eleitor que deseja votar em Lula. Melhor é se unir a eles e cuidar da vida. É o que fará, por exemplo, o vice-governador João Leão (PP).

Outros exemplos I/ O que ocorrerá na Bahia promete se repetir em vários estados do Nordeste. Até no Piauí, onde o PT também governa há 16 anos.

Outros exemplos II/ O time de ACM Neto lembra que o eleitor está acostumado com essas parcerias meio estranhas do ponto de vista ideológico, haja vista o "Lulécio", na campanha de Aécio Neves para governador de Minas Gerais, de 2006; e o Bolsodoria, quando da eleição de João Doria, em 2018.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE