ELEIÇÕES

Pacheco e Ciro Nogueira rebatem críticas de Lula ao Congresso

Rodrigo Pacheco e Ciro Nogueira saem em defesa do Congresso, depois que o petista afirmou que o Poder Legislativo nunca esteve tão mal representado quanto agora: "Talvez o pior da história"

Correio Braziliense
postado em 21/03/2022 06:00
 (crédito: Marcos Oliveira/Agência Senado)
(crédito: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Governistas e congressistas reagiram às críticas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Câmara e ao Senado. No sábado, durante um evento do Movimento dos Sem Terra (MST) em Londrina, no Paraná, o petista disse que o Poder Legislativo nunca esteve tão mal representado quanto nesta legislatura. "Nunca esteve tão antipovo, tão submisso aos interesses antinacionais. É talvez o pior Congresso que já tivemos na história do Brasil", disse.

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), rebateu, em nota, às críticas e as caracterizou como sem fundamento e com influência da disputa eleitoral. Ele deixou claro que a declaração de Lula, que segue como líder nas pesquisas de intenção para ocupar o Palácio do Planalto em 2023, é "deformada, ofensiva e sem fundamento, fruto do início da disputa eleitoral que faz com que seja 'interessante' falar mal do Parlamento", escreveu Pacheco.

Segundo Pacheco, essa legislatura é o resumo dos defeitos e das qualidades de um Brasil construído por sucessivos governos, incluindo os longevos petistas. Ele escreveu que matérias que estavam engavetadas foram votadas e entregues. "Previdência, o Marco do Saneamento, a autonomia do Banco Central, a nova Lei Cambial, a nova Lei de Falências, a nova Lei de Geração Distribuída, a Lei do Gás, a capitalização da Eletrobras e outros marcos do sistema elétrico, além da Lei das Ferrovias, da Lei da Cabotagem (BR do Mar) e a reforma da Lei de Segurança Nacional", afirmou, em nota.

"O mesmo Congresso se posicionou em defesa da democracia quando arroubos antidemocráticos assombraram a nação. E foi esse mesmo Congresso que validou as urnas eletrônicas ao rejeitar a ideia do voto impresso", comentou Pacheco. Ainda na nota, esclareceu que valoriza e respeita as críticas, desde que sejam verdadeiras "em vez de discursos oportunistas em período eleitoral".

Casa Civil

As críticas também foram rebatidas pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. Em defesa, não só do Congresso, mas também da gestão Bolsonaro, evocando o escândalo do mensalão, revelado em 2005. "Congresso deformado? Pior da história? Esqueceu do mensalão? Nunca na história deste país, Câmara, Senado e um governo, do presidente Bolsonaro, se relacionaram tantos anos sem nenhum escândalo de corrupção. O povo conhece o presente e não esquece o passado", escreveu, no Twitter.

Lula segue como atual líder nas pesquisas de intenção de voto contra o presidente Jair Bolsonaro. Ciro Nogueira é presidente de um dos partidos que compõem a base governista, o Progressistas.

Moro na Alemanha

O pré-candidato à presidência da República Sergio Moro (Podemos) desembarcará hoje na Alemanha com retorno previsto para sexta-feira. Conforme a agenda, os encontros ocorrerão em Hamburgo e Berlim. Segundo postagem na conta pessoal no Twitter, a viagem visa rodas de conversas com representantes da sociedade civil para discutir agropecuária, guerra, tratados comerciais, meio ambiente e coalizão de governo no modelo alemão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE