Muitos ministros, sem Braga Netto

Correio Braziliense
postado em 28/03/2022 00:01
 (crédito: Reprodução vídeo )
(crédito: Reprodução vídeo )

O ato do PL em Brasília ocorreu no mesmo dia em que o partido conseguiu no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma decisão liminar para proibir manifestações políticas no festival de música Lollapalooza, após artistas como Pabllo Vittar exaltarem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em suas apresentações (leia reportagem na página ao lado). O petista é líder nas pesquisas de intenção de voto e o principal adversário do chefe do Executivo eleições para o Planalto neste ano.

Bolsonaro, por sinal, voltou a colocar em dúvida pesquisas de intenção de voto, embora o governo se paute nos levantamentos para direcionar as políticas públicas em ano eleitoral. "Já ouviram no passado que a mentira repetida mil vezes se transforma em uma verdade. Eu vou dizer para vocês: uma pesquisa mentirosa publicada mil vezes não fará um presidente", observou, sob aplausos dos presentes, no evento do PL. Uma referência indireta à liderança do principal adversário. Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, divulgada na quinta-feira, o ex-presidente está na frente de Bolsonaro com 43% das intenções de voto, que, embora a uma distância menor, acumula 26%.

Ainda no discurso de ontem, o chefe do Executivo destacou que é preciso ter "lideranças sérias" no Brasil. "O povo é parte mais importante desse processo. A segunda parte mais importante sou eu, são os governadores, prefeitos, senadores, deputados e vereadores também", ressaltou.

Ausência

Ministros de Bolsonaro compareceram em peso ao ato do PL, como Ciro Nogueira (Casa Civil), Flávia Arruda (Secretaria de Governo) e Tereza Cristina (Agricultura). Diante da tentativa da campanha do presidente para reduzir a rejeição de Bolsonaro junto às mulheres, a primeira-dama Michelle também compareceu. Cotado para ser vice do presidente na eleição deste ano, o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, não foi ao evento.

A ausência do militar chamou a atenção. As informações são de que Braga Netto não compareceu justamente para tentar desvincular o evento de um ato de campanha.

Para não dar impressão de campanha eleitoral antecipada, o PL anunciou o lançamento de um movimento de adesão, visando "fortalecer e ampliar a base eleitoral do partido" com o slogan: "É com ele que eu vou", com imagens de Bolsonaro. No entanto, muitos apoiadores que compareceram ao evento usavam camisas estampadas com "Bolsonaro 2022". Entre os simpatizantes, houve um que compareceu com um boi.

CONTINUE LENDO SOBRE