Mudanças na Esplanada

Correio Braziliense
postado em 29/03/2022 00:01

A proximidade da data limite para a desincompatibilização de cargos públicos para os aspirantes a candidatos nas eleições de outubro próximo, marcada para 2 de abril, já movimenta a Esplanada dos Ministérios. Ontem, a ministra da Mulher, da Família e Direitos Humanos, Damares Alves, anunciou que deixará a pasta até sexta-feira (1º/4). A data é a limite da janela partidária para troca de partido.

Questionada por jornalistas, durante a chegada no Congresso Nacional, onde participou de uma audiência na Comissão de Direitos Humanos, sobre até quando será ministra, Damares respondeu: "Até o dia 31, 23 horas e 59 minutos. No dia 1º (de abril), a ministra já não é mais ministra", informou.

Apesar de confirmar a filiação ao partido Republicanos, Damares não indicou se disputará as eleições de 2022. "Mas não sei se serei candidata e não sei aonde serei candidata. Já tenho um partido e este é o primeiro grande passo", disse.

No entanto, a ministra já havia sinalizado a intenção de se candidatar a uma cadeira no Senado. Porém, o estado pelo qual disputaria a vaga ainda é uma incerteza. Inicialmente, seria o Amapá, pelo qual teria preferência.

Dentre as unidades federativas citadas por Damares estavam, também, Roraima, Sergipe e São Paulo. Contudo, após conversas com a cúpula do partido no Distrito Federal, também cogitou-se uma candidatura pelo DF.

Defesa

Outra saída esperada para os próximos dias é a do ministro da Defesa, Braga Netto, que deixará a pasta para ser vice na chapa de Jair Bolsonaro (PL) à reeleição, conforme o próprio chefe do Executivo tem acenado. Durante reunião no Palácio do Planalto ontem, o presidente se encontrou com os comandantes das Forças, o general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira (Exército Brasileiro), o almirante de esquadra Almir Garnier Santos (Marinha do Brasil), o tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Júnior (Aeronáutica) e o auxiliar Pedro Cesar Sousa, subchefe para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência.

Na mesa, foram discutidos os detalhes para que o atual comandante do Exército, Paulo Sérgio de Oliveira, assuma o comando do Ministério da Defesa na quinta-feira (31), no lugar de Walter Braga Netto. Já o posto do comando do Exército ficará a cargo do general Marco Antônio Freire Gomes, em solenidade também prevista para o próximo dia 31.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE