Araújo faz pouco caso do apoio a Doria

Correio Braziliense
postado em 02/04/2022 00:01

Um dia depois do agora ex-governador João Doria (PSDB) dizer que houve um planejamento prévio para que o presidente do partido, Bruno Araújo, tivesse de se manifestar publicamente em apoio a seu nome para a disputa ao Planalto, o dirigente partidário minimizou carta divulgada por ele na quinta-feira.

"Em política tem algo que vale mais do que papel e carta, que são os fatos e acontecimentos", disse Araújo aos jornalistas, na saída do evento de filiação do deputado Rodrigo Maia (RJ) ao PSDB em São Paulo. Ainda segundo o presidente tucano, a candidatura da legenda está contida em um "projeto maior", e Eduardo Leite, ex-governador do Rio Grande do Sul, teve um comportamento "extremamente decente".

Doria venceu Leite nas prévias presidenciais no ano passado, mas o gaúcho continua se movimentando para ser o candidato tucano.

Araújo frisou que a continuidade da pré-candidatura de Doria dependerá da aliança com outras siglas. "O partido está unido no propósito de construir uma candidatura. Claro que há uma discordância em relação à candidatura de João Doria, porque é evidente o grau de oposição interna. Mas temos um jogo a ser jogado. Primeiro, com as prévias, e, agora, na busca dessa unidade dentro do conjunto de todos os candidatos", ressaltou.

Na quinta-feira, após simular que permaneceria como governador, Doria falou em "estratégia política". Ontem, minimizou. "Não é estratégia, é objetivo. O objetivo do PSDB é servir ao Brasil (...) O PSDB é uma família, e em uma família você não tem unidade todos os dias. Nem por isso deixa de compor um lar", argumentou.

No evento de ontem, que não contou com a presença do governador Rodrigo Garcia (PSDB), Doria defendeu o nome do presidente da sigla para assumir o comando da federação que vai surgir da união com o Cidadania. "Bruno tem o meu apoio e o apoio de todos para ser o presidente da federação. Não há nenhuma contestação. Não há nenhum clima de hostilidade. Há um clima de entendimento. Isso é parte do processo democrático", disse.

Na semana que vem, Araújo, Baleia Rossi (MDB) e Luciano Bivar (UB) vão se reunir em Brasília para definir critérios voltados a afunilar a terceira via.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE