557,8 mil kg de filé para FAs

Taísa Medeiros
postado em 09/04/2022 00:01

No mesmo dia em que a inflação mostrou alta acentuada, a Petrobras anunciou que vai reduzir o preço do botijão de gás cobrado das distribuidoras, a partir de hoje. A estatal informou que o valor médio do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) agora será de R$ 4,23 por quilo. Um recuo de R$ 0,25. Isso significa que o preço de um botijão de 13kg ficará em torno de R$ 55, uma queda de R$ 3,27, ou seja, 5,6%. O preço para o consumidor, no entanto, ficará bem acima disso, pois inclui custos de frete e margem das distribuidoras e dos revendedores, que têm liberdade para fixar os valores.

Atualmente, o botijão de 13kg pode ser comprado pelos consumidores por R$ 113,63, em média, segundo levantamento nacional da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) entre 27 de março e 2 de abril.

Em nota, a petroleira, que vem sendo pressionada pelo Palácio do Planalto a reduzir o preço dos combustíveis, explicou que a decisão foi tomada a partir do acompanhamento da evolução das cotações internacionais e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para o GLP. O reajuste mais recente do gás havia sido em 11 de março, quando foi definido aumento de 16,1%.

A alta do gás de cozinha acumulada do ano já soma 10,9%. Em janeiro, o valor médio cobrado do consumidor era de R$ 102. Há duas semanas, passou para R$ 112,54, mas alcançava R$ 160 em alguns estados, como Mato Grosso.

Competitividade

Na nota, a Petrobras reiterou o "compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais".

A Abegás (Associação Brasileira de Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado) salientou que o anúncio da redução no preço do GLP é um indicador da capacidade da empresa de ofertar combustível a preços mais competitivos.

"A Abegás apela à Petrobras para que adote o mesmo tratamento ao gás natural. A redução do preço da molécula é fundamental para beneficiar diretamente os mais de 4 milhões de clientes residenciais, comerciais, industriais e usuários de GNV", afirmou a entidade em nota.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE